Espanha aumenta concorrência a Portugal

Portugal está em alta, mas a autoridade que gere os aeroportos espanhóis, a ANEA, quer aumentar a parada e cativar negócios para o país vizinho através da redução das taxas aeroportuárias.

A ANEA – agência equivalente à portuguesa ANA, que gere os 48 aeroportos instalados em Espanha – tem em execução um plano de redução das taxas de utilização dos aeroportos, que pode interferir diretamente com o negócio da aviação civil portuguesa e será um fator acrescido de concorrência face às infraestruturas congéneres instaladas no território nacional.
Em declarações ao Jornal Económico, Bruno Georgelin, diretor-geral da Air France-KLM para a Península Ibérica, referiu, sobre a matéria, que o grupo tem de aferir da rentabilidade de cada rota em cada momento e manter uma visão de conjunto – que, no caso da Península Ibérica, não isola um do outro os dois mercados aí instalados.

“Não nos compete estar a comentar as políticas que cada país implemente em relação às taxas aéreas praticadas, mas compete-nos, no grupo, fazer contas”, afirmou.

Seja como for, Georgelin, de nacionalidade francesa, afirmou que a diminuição dos encargos mantidos com os voos para Espanha “pode ser um problema para Portugal” – que atravessa um verdadeiro boom em termos de destino turístico, o que terá sido um dos motivos para o aumento das taxas praticadas em território nacional.

Recorde-se que os aeroportos da rede da ANA têm em vigor taxas de aterragem, estacionamento, abrigo, abertura de aeródromo, de assistência em escala regulada (assistência a passageiros/balcões de check-in e assistência a bagagem), bem como as taxas de CUPPS (Common Use Processing Passenger System), CUSS (Common Use Self-Service) e BRS (Baggage Reconciliation System).

Crescer em Portugal
Mesmo assim, e segundo Bruno Georgelin, o grupo Air France KLM – companhias de bandeira francesa e holandesa que se fundiram em 2004, criando a maior empresa do setor na Europa – está apostado em fazer crescer a sua operação em Portugal.
Até ao verão, a companhia vai aumentar a sua capacidade instalada em Portugal em 19%, que fica a dever-se essencialmente à abertura das novas rotas do Porto para Paris-Charles de Gaulle (desde esta semana, três voos semanais que aumentarão para seis na época alta) e do Porto para a Amesterdão a partir de 15 de maio próximo (sete voos semanais). A companhia vai também aumentar a sua capacidade em 7% de Lisboa para Paris-Charles de Gaulle este verão (35 voos semanais), mantendo os 21 voos atuais para Amesterdão. A partir de 26 de maio, a Air France-KLM passa ainda a oferecer uma nova rota de Lisboa para Nova Iorque-JFK (sete voos semanais).

“Além de passarmos a oferecer aos passageiros que partem do Aeroporto Francisco Sá Carneiro a extensa rede de voos do nosso grupo no mundo inteiro, as inaugurações no Porto das novas rotas para Paris e Amesterdão confirmam o reforço da nossa posição em Portugal. Globalmente, o grupo Air France-KLM, incluindo a sua companhia aérea low-cost Transavia e o seu parceiro Delta Airlines, vai oferecer mais de 500 voos semanais em 25 rotas de e para quatro aeroportos portugueses (Lisboa, Porto, Faro e Funchal) este verão”, afirmou Bruno Georgelin.

Sobre Lisboa, o responsável pelo mercado ibérico da Air France-KLM não quis comentar especificamente a localização do novo aeroporto, que será construído no Montijo para complementar a oferta à cidade – “é ainda cedo demais para comentar a proposta”, disse –, mas é de opinião que “Lisboa é um problema”, dada a sua manifesta incapacidade em responder com eficácia ao aumento da procura. De qualquer modo, “e até porque a operação no Porto é mais pequena”, os negócios a partir desta cidade irão crescer a um ritmo mais elevado que os sediados em Lisboa: “O potencial de crescimento é no Porto”, garante. Mas, assegurou, “numa lógica de complementaridade entre as duas cidades”.

A Air France-KLM assegura uma rede de voos com 328 destinos em 118 países através das suas marcas Air France, KLM Royal Dutch Airlines, Transavia e HOP! Air France. Com uma frota de 534 aviões em operação e 93,4 milhões de passageiros transportados em 2016, a Air France-KLM opera até 2.200 voos diários a partir das suas plataformas de ligação rápida (hubs) de Paris-Charles de Gaulle e Amesterdão-Schiphol. A Air France e a KLM exploram juntamente com os seus parceiros Delta e Alitalia a maior joint venture transatlântica, com mais de 270 voos diários. Ambas as companhias são membros da aliança SkyTeam, que reúne 20 companhias aéreas, que asseguram mais de 16.270 voos diários para 1.057 destinos em 179 países.



Mais notícias