Espanha apresenta propostas a Bruxelas para refundar Zona Euro

O documento com sete páginas, enviado a Bruxelas, assenta em duas ideias-chave: a criação de uma política fiscal comum e uma maior cooperação e partilha de riscos.

O Governo espanhol de Mariano Rajoy apresentou a Bruxelas uma proposta de reformulação da zona euro sob o argumento de que o projeto da moeda única “está inacabado” e necessita de “novos critérios de convergência”. No documento, a que o jornal espanhol ‘El País’, Espanha dá conta de que a Grande Recessão “revelou erros críticos no projeto do euro” e que em vez de serem colocados “remendos”, como se tem feito, é necessário reagir “com um plano bem estruturado”.

O documento com sete páginas, enviado a Bruxelas, assenta em duas ideias-chave: a criação de uma política fiscal comum e uma maior cooperação e partilha de riscos. Os espanhóis argumentam que o país foi um dos mais atingidos pela crise económica europeia e que tal se deveu, em grande parte, ao facto de Madrid não beneficiar da mesma posição privilegiada que a Alemanha ou a França.

Numa altura em que na zona euro começam a aparecer conceitos como a “Zona Euro norte” e a “Zona Euro sul”, o Governo de Mariano Rajoy sustenta que mais do que nunca a União Europeia deve avançar com uma maior política de união e coesão.

“As lacunas na arquitetura do euro explicam o impacto que se manifestou de forma diferente na recente crise”, escreve o Governo espanhol no documento. “O euro precisa não apenas os bombeiros, mas também arquitetos. O projeto europeu ficará apenas de pé se os cidadãos fornecerem níveis de prosperidade sustentáveis e inclusivos”.

Com tal, Mariano Rajoy propõe a criação de ‘eurobonds’, títulos da dívida conjunta dos países do euro, que viriam reforçar a confiança na Zona Euro e eliminar os riscos de rutura da moeda única. Além disso, o Executivo espanhol acredita que é fundamental que seja criado um orçamento europeu e uma união bancária “digna desse nome”, bem como a criação de um Ministério das Finanças em comum para todos os países do Euro.

A situação é ainda mais urgente no que toca ao desemprego. Fortemente afetada com o dilema das elevadas taxas de desemprego, a Espanha quer criar um subsídio de desemprego comum e reformar o mecanismo de controlo das contas públicas, previsto no Pacto de Estabilidade e Crescimento.

Embora algumas ideias não sejam completamente novas, o Executivo espanhol defende que iriam dar “um novo folgo” às políticas europeias da Zona Euro.

 



Mais notícias