Energia e retalho penalizam PSI 20, que seguem em contraciclo com a Europa

Paulo Rosa, trader da Gobulling – Banco Carregosa, indica que o setor da energia está a ser penalizado pela queda do preço do petróleo, registada na sequência dos ataques das três grandes potências ocidentais (Estados Unidos, França e Reino Unido) aos depósitos de armas químicas na Síria.

Reuters/Lucas Jackson

A bolsa portuguesa está esta segunda-feira, 16 de abril, a negociar em terreno negativo, em contraste com os ganhos das praças europeias. O principal índice, PSI 20, caiu 0,13%, para 5.470,62 pontos, pressionado pelas perdas do setor da energia e retalho.

No setor da energia, todas as cotadas seguem em queda. Paulo Rosa, trader da Gobulling – Banco Carregosa, indica que o setor está a ser penalizado pela queda do preço do petróleo, registada na sequência dos ataques das três grandes potências ocidentais (Estados Unidos, França e Reino Unido) aos depósitos de armas químicas na Síria. A EDP perde 0,85%, para 3,149 euros, a EDP Renováveis recua 1,54%, para 7,975 euros, a Galp Energia desliza 0,32%, para 15,785 euros e a REN desvaloriza 0,08%, para 2,550 euros.

No mercado petrolífero, o Brent perde 1,61%, para 71,41 dólares por barril, e o crude WTI desvaloriza 1,45%, para 66,41 dólares.

No setor do retalho, a Sonae recua 0,91%, para 1,091 euros, e a Jerónimo Martins perde 0,07%, para 14,245 euros.

Em terreno negativo está também a Pharol, que cai 0,41%, para 0,195 euros. Paulo Rosa lembra que, na semana passada, foi confirmado que os credores da Oi, da qual a Pharol é a principal acionista, podem ficar com 72,12% do capital da empresa. Quer isto, dizer que os atuais acionistas, como é o caso da Pharol, podem ver as suas posições na empresa serem reduzidas.

A cair estão ainda a Corticeira Amorim (-0,17%) e a Sonae Capital (-0,21%).

Em contraciclo destaca-se a NOS, que avança 1,03% para 4,926 euros. O BCP ganha 0,86% para 0,282 euros, recuperando das fortes perdas das últimas sessões. No entanto, Paulo Rosa nota que, apesar da subida, “os valores ficam aquém dos alcançados em fevereiro”.

Os CTT somam 0,73% para 3,038 euros. A empresa postal está também a recuperar das quedas dos últimos dias, apesar da sua elevada liquidez, indica Paulo Rosa. O trader da Gobulling acredita que “os investidores possam estar a definir um posicionamento, tendo em conta que a assembleia-geral da empresa está marcada para esta quarta-feira, dia 18. Nesta assembleia está prevista a apresentação de uma posição conjunta de um grupo de pequenos acionistas em relação ao futuro do serviço postal. A apresentação de resultados da empresa realiza-se a 2 de maio.

Com ganhos estão também a Ibersol (0,44%), a Mota-Engil (0,14%), a Semapa (0,21%), a Navigator (0,08%) e a Altri (0,36%).

As restantes bolsas europeias negoceiam, maioritariamente, em alta. O índice alemão DAX soma 0,12%, o espanhol IBEX 35 valoriza 0,18%, o francês CAC 40 sobe 0,02%, o italiano FTSE MIB ganha 0,18% e o holandês AEX aprecia 0,11%. Em contraciclo, o britânico FTSE 100 perde 0,11%.

No mercado cambial, o euro valoriza 0,27% face ao dólar, para 1,236 dólares e a libra soma 0,20%, para 1,426 euros.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB