Emprofac bem cotada junto das farmácias

Um inquérito inédito feito pela Afrosondagem sobre a satisfação dos clientes da Emprofac revela que, numa escala de 1 a 10, as farmácias atribuem uma nota de 7,1 pontos à empresa nacional de comercialização de medicamentos. Saiba mais.

 

Um estudo inédito realizado pela Afrosondagem para avaliar a prestação de serviço da Emprofac junto dos seus clientes revela que 36 das 39 farmácias do país responderam positivamente às perguntas sobre o grau de satisfação do trabalho desenvolvido pela farmacêutica cabo-verdiana.

Segundo o relatório da Agronsodagem, divulgado pelo boletim Saúde & Comunicação da Emprofac e que o economico.cv teve acesso, em média, a avaliação de todos os itens referentes à qualidade de prestação dos funcionários da empresa nacional de comercialização de medicamentos é satisfatória, alcançando 7,1 pontos numa escala de 1 a 10. A simpatia no atendimento destaca-se com a pontuação mais elevada (7,9), seguido pela apresentação do pessoal (7,7) e a disponibilidade das chefias/chefias intermédias (7,5).

A avaliação positiva é extensiva também aos itens qualidade de serviço e qualidade das respostas de suporte técnico com 7,2 ex-áqueo, à capacidade para prestar informações claras e úteis, a disponibilidade dos colaboradores presenciais e a ética e o profissionalismo no atendimento todos alcançando a nota 7,1.

Por outro lado, foram identificados itens que carecem ainda de uma melhoria, pois as respectivas avaliações situam-se num nível intermédio, são eles, a capacidade de satisfazer as solicitações (6,9), a capacidade para resolver rapidamente os problemas (6,3) e a flexibilidade (isto é, capaz de sugerir vias alternativas para a resolução dos problemas) com 6,1.

Os dados apontam ainda para um certo equilíbrio entre as expectativas criadas pelos responsáveis das farmácias e a qualidade dos serviços e produtos prestado pela Emprofac. Este item foi agraciado com uma pontuação média de 6,7 numa escala valorativa de 1 a 10.

As farmácias inquiridas, de um modo geral, consideram que a qualidade dos serviços prestados não é compatível com os custos, ou seja, os custos são elevados face à qualidade dos serviços prestados.

Os resultados do inquérito apontam, contudo, para um baixo nível de satisfação das farmácias relativamente à forma como as suas reclamações foram resolvidas. E são duas as áreas que os responsáveis pelas farmácias consideram que devem ser prioritárias para ser alvo de melhorias – a ruptura de estoques e a distribuição/transportes, logística e entrega dos produtos;

No cômputo geral, o nível médio da avaliação percepcionado pelos inquiridos relativamente à qualidade do site da Emprofac é bastante positivo, situando-se na ordem dos 8,3 pontos (na escala de Likert de 1 a 10).

O Universo do inquérito às farmácias foi constituído a partir de uma lista fornecida pela Emprofac, permitindo assim, uma estratificação da amostra por Ilha. O universo é composto por cerca de 39 farmácias, sendo que a recolha foi realizada de uma forma exaustiva. A taxa de sucesso foi de 92% ou seja, 36 das 39 farmácias responderam ao inquérito. Somente duas farmácias na Praia e uma no Sal não obstante as sistemáticas insistências por parte da equipa não se dignaram a colaborar e responder o questionário.

Foram consideradas todas as farmácias em funcionamento nas Ilhas de Santo Antão, S. Vicente, São Nicolau, Sal, Boa Vista, Maio, Santiago, Fogo e Brava. Foram tidas em conta para este inquérito todas as farmácias do arquipélago, divididas em 10 domínios de estudos. A ilha de Santiago foi dividida em dois domínios: Praia e Interior de Santiago.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB