Empresas nacionais de aeronáutica, espacial e defesa fazem ofensiva nos mercados externos

O 'cluster' nacional de empresas do setor AED, que vale 1.700 milhões de faturação anual, vai promover-se em diversas feiras internacionais do setor, começando já por uma das maiores, a FIA, em Farnborough, Inglaterra, entre 16 e 22 de julho próximo.

Os sectores do ‘cluster’ nacional de AED – Aeronáutica, Espaço e Defesa vão arrancar com uma nova ofensiva para mostrar nos mercados externos as suas potencialidades. A primeira e mais significativa paragem é a FIA – Feira Internacional de Aeronáutica, considerada uma das maiores do Mundo do setor aeronáutico, em Farnborough, Inglaterra, entre 16 e 22 de julho próximo.

Uma das iniciativas designa-se ‘Portugal Looks Up’, um projeto conjunto e transectorial criado pelos principais actores institucionais nacionais destes setores de atividade empresarial, além da área de segurança.

“Sentimos a necessidade de promover a imagem de Portugal nestes vários sectores porque detectámos desde cedo que a nossa estrutura empresarial nesta área é composta por uma meia dúzia de grandes empresas e, depois, por um grande conjunto de PME [Pequenas e Médias Empresas] que não têm capacidade para estarem presentes nos mercados internacionais”, explica João Romana, director-geral do AED CP (Aeronáutica, Espaçoa e Defesa ‘Cluster’ Portugal), em declarações ao Jornal Económico.

Este responsável acrescentou que nesta iniciativa, o ‘cluster’ AED funciona como um parceiro para as empresas portuguesas do sector, com o apoio da Aicep.

João Romana acrescenta que quatro entidades vão financiar a participação portuguesa na FIA deste ano, sendo os apoios decididos caso a caso.

O ‘Portugal Looks Up’ reúne 56 instituições privadas e governamentais que participam e co-financiam esta iniciativa, incluindo o AED CP, a ADRAL (municípios alentejanos), a Aicep, a IdD (Ministério da Defesa), a FCT (Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior) , o Governo Regional dos Açores (através da EMAE) e o gabinete do Primeiro-Ministro (por intermédio do Portugal IN).

O Farnborough International Air Show já tem garantidos mais de 1.600 expositores de 52 países em mais de sete mil metros quadrados de exibição.

Para esta edição da FIA estão já garantidas 82 das empresas do ‘top 100’ consolidado no certame do setor em 2016, durante o qual se concretizaram 124 mil milhões de dólares de encomendas firmes entre as empresas presentes de todos os lados Mundo.

A segunda iniciativa do ‘cluster’ nacional de AED é o ‘Knownow4Aerospace’, um projeto que visa disseminar e contribuir para a promoção das empresas nacionais dos centros de investigação do setor aeroespacial, além de melhorar a sua visibilidade internacional, identificar as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças que enfrentam para o acesso aos mercados internacionais.

Tal como no caso do ‘Portugal Looks Up’, esta iniciativa tem como meta última promover o aumento das exportações do sector aeroespacial nacional.

O projeto ‘Knownow4Aerospace’ é desenvolvido em parceria entre o CEC – Centro Empresarial do Centro e pelo AED CP, sendo financiado pelo programa comunitário Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, no montante global de 422,4 mil euros, dos quais cerca de 359 mil euros são provenientes do FEDER – Fundo de Desenvolvimento Regional.

“É um projeto de apoio à internacionalização das empresas deste setor, financiado pelo Compete e pelo Portugal 2020, em parceria com o CEC, que é uma espécie de Câmara de Comércio. O objetivo é apoiar a internacionalização do setor aerospacial português. O CEC tem uma característica muito importante, porque é o ponto final em Portugal da Europe Enterprise Network, uma rede que pretende promover a cooperação internacional, num dos setores visados, o aeroespacial”, esclareceu João Romana.

O responsável adiantou que este projeto começou há cerca de um ano e vai durar até meados ou finais de 2019.

“Com este valor de financiamento, vamos promover várias ações ao nível das infraestruturas, para criar ‘websites’, para mostrar o que se faz no setor em Portugal. Queremos ir mostrar os nossos projetos em Inglaterra, mas também na Alemanha, Canadá e Estados Unidos, com presença garantida em diversas feiras do setor nesses países”, assegurou o director-geral do AED CP.

Segundo João Romana, o objetivo deste programa é beneficiar 30 PME do setor em Portugal na presença destas feiras, embora seja impossível finaciar diretamente os seus projetos.

“Vamos criar condições para ações de formação, de esclarecimento, para a montagem de ‘stands’”, esclarece João Romana, explicando que estão abrangidas nesta inicativas as empresas do setor das regiões Norte, Centro, Alentejo, estando excluídas, no Continente, as regiões de Lisboa e do Algarve, além das Regiões Autónomas, que têm apoios proporcionados pelos respetivos governos regionais.

O setor AED representa neste momento uma faturação de cerca de 1,7 mil milhões de euros, valendo as exportações cerca de 87% desse montante.

O setor emprega cerca de 18.500 pessoas, distribuídas por cerca de 60 empresas e entidades.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB