Turismo: Empregadores prevêem aumento de 29% nas contratações

As estimativas para o terceiro trimestre do ano são positivas em todas as regiões e todos os setores de atividade, com destaque que para os setores da restauração e hotelaria.

A contratação deverá continuar a crescer em Portugal no terceiro trimestre do ano, com destaque que para os setores da restauração e hotelaria, de acordo com os resultados do ManpowerGroup Employment Outlook Survey divulgado esta terça-feira. As grandes empresas e a região sul do país são as que reportam as previsões mais fortes para a criação líquida de emprego no turismo entre julho e setembro.

A previsão para a criação líquida de emprego em Portugal é de 12%, o que significa um aumento de dois pontos percentuais face ao trimestre anterior. Segundo o estudo, 15% dos empregadores portugueses disseram que vão aumentar os empregados, 3% vão reduzir e 79% vão manter os níveis de contratação.

As estimativas são positivas em todas as regiões e todos os setores de atividade, revela o estudo realizado com base num inquérito a uma amostra representativa de 625 empregadores em Portugal.

“Os resultados do ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o terceiro trimestre de 2017 realçam e confirmam as tendências positivas antecipadas no segundo trimestre do ano, com um crescimento ligeiramente superior da criação de emprego e com as grandes empresas a procurarem consolidar e aumentar o volume das suas atividades no mercado Português”, referiu o Country Manager da ManpowerGroup Portugal, Nuno Gameiro, em comunicado.

“Assim se explica a melhoria de confiança dos mercados internacionais na economia portuguesa, constituindo excelentes notícias para o crescimento económico. Simultaneamente, com o crescimento da criação de emprego, a procura por talento disponível tende a intensificar-se – e face às projeções para o recuo da taxa de desemprego, o foco das empresas será reajustado para a reformulação e melhoramento de competências das suas pessoas, o que colocará uma pressão adicional e crescente na vertente de retenção do talento”.

As previsões de contratação melhoram em seis dos nove setores, em comparação com o trimestre anterior. Os empregadores do turismo prevêem uma criação líquida de emprego de 29%, o setor mais forte. Seguem-se os empregadores dos setores de finanças, seguros, imobiliário e serviços, com uma projeção na ordem dos 23%. Apesar disso, a estimativa decresceu nos setores da agricultura, florestas e pescas.

No que diz respeito às diferentes regiões do país, os empregadores do sul estimam um aumento do volume de contratação de 21% no terceiro trimestre. Tanto no Centro como no Norte é antecipado um aumento otimista de 11% e 10%, respetivamente.

Sobre as diferentes empresas, o estudo mostra uma previsão de aumento de 21% nas grandes empresas, de 14% e 13%, respetivamente nas pequenas e nas médias empresas, bem como de 8% nas microempresas.

“As empresas que procuram ampliar as suas equipas terão de manter-se muito atentas às expetativas dos candidatos, aquilo que mais valorizam para a decisão num processo de mudança profissional. Os tempos que se aproxima são excitantes e de grandes desafios para a atividade de recrutamento, obrigando ao desenvolvimento de novos modelos e processos operacionais para garantir a atração do talento certo”, acrescentou Nuno Gameiro.

Mais notícias