El Corte Inglès: Venda de animais de estimação a crédito gera revolta

"Estamos de momento a recolher este material de comunicação e a analisar a situação internamente", escreveu o El Corte Inglés na página de Facebook.

O El Corte Inglès (ECI) lançou uma campanha em que apela à compra de animais de estimação através de “crédito”. É dado ao cliente a possibilidade de comprar um animal “durante 12 meses sem juros, em compras acima de 200 euros”.

A situação foi denunciada pela associação IRA- Intervenção e Resgate Animal, que partilhou na página de Facebook uma fotografia do cartaz.

O El Corte Inglés está a financiar A COMPRA de animais de estimação.Contactados telefonicamente, confirmaram que o…

Posted by IRA – Intervenção e Resgate Animal on Thursday, 30 March 2017

“Isto é promover o abandono dos animais e manter os que se encontram para adopção, nos canis municipais e associações.

É uma campanha que repudiamos, que estimula a aquisição dos animais por facilitismo sem qualquer responsabilidade para com o mesmo e contraria a legislação em vigor, onde os animais deixam de ser “coisas”, escreve a IRA.

É esta a nossa resposta à campanha do El Corte Inglés Portugal para financiamento de compra de animais de estimaçã…

Posted by Animais de Rua Núcleo de Faro on Thursday, 30 March 2017

A página de Facebook do El Corte Inglés já se encheu de comentários de pessoas que apelidam a campanha de “vergonhosa”.

Contactado pelo Jornal Económico, o ECI recusou-se a comentar a situação, apesar de terem escrito no Facebook em resposta a uma cliente.

“Gostaríamos de informar que compreendemos a situação que partilhou e agradecemos a sua opinião. Desta forma, queremos reforçar que, no El Corte Inglés, tudo fazemos para garantir que os animais merecem sempre o melhor tratamento. Assim, estes vivem com os seus tratadores até ao momento em que surja alguém interessado num novo companheiro. No seguimento da sua partilha, e de outros comentários que recebemos e que também mereceram a nossa melhor atenção, já estamos a tomar as devidas medidas. Estamos de momento a recolher este material de comunicação e a analisar a situação internamente.”

Mais notícias