E se o Reino Unido quiser ficar? “Toda a gente seria a favor”, garante presidente do Parlamento Europeu

Theresa May continua a defender que "não há volta atrás" e convocou na passada terça-feira eleições antecipadas para 8 de junho para reforçar a maioria parlamentar e a legitimidade para negociar o Brexit.

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, garante que em caso de o Reino Unido quer voltar atrás na intenção de sair da União Europeia (UE), será recebido de braços abertos.

Em entrevista ao jornal britânico ‘The Guardian’, Antonio Tajani afirma que, embora a decisão final caiba aos restantes 27 Estados-membros, há uma vontade unânime de que o Reino Unido faça marcha-atrás nas negociações do processo de saída do bloco europeu.

“Se o Reino Unido, depois da eleição, quiser retirar [o artigo 50.º], então o procedimento é muito claro. Se o Reino Unido quisesse ficar [na UE] toda a gente seria a favor. Eu ficaria muito contente”, afirma o italiano Antonio Tajani.

O líder do Parlamento Europeu encontrou-se esta quinta-feira com a primeira-ministra britânica, Theresa May, para negociar os termos dos próximos dois anos de negociações do Brexit.

Theresa May continua a defender que “não há volta atrás” e convocou na passada terça-feira eleições antecipadas para 8 de junho, três anos antes da data prevista, de forma a conseguir reforçar a sua maioria parlamentar e combater o constante bloqueio de decretos no Parlamento britânico.

Mais notícias
PUB
PUB
PUB