Dona do Montepio subscreve aumento de capital de 250 milhões na Caixa Económica

Aumento de capital é feito no mesmo dia em que é anunciado um princípio de entendimento para a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa entrar no capital do Montepio Geral.

SBSI

A associação mutualista que é dona do Montepio Geral subscreveu um aumento do capital da caixa económica em 250 milhões de euros, informou o banco através da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

O aumento de capital foi feito hoje, em dinheiro, e elevou o capital social da Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) a 2.020 milhões de euros.

Em comunicado, a caixa económica “informa que efetivou o aumento do seu capital institucional, o qual foi integralmente realizado pelo Montepio Geral Associação Mutualista (MGAM)”.

Também em comunicado, a MGAM refere que, enquanto Instituição titular conforme o Regime Jurídico das Caixas Económicas (DL 190/2015), garante o reforço dos fundos próprios da CEMG, muito acima das exigências regulamentares das autoridades de supervisão#.

Assim, assegura, diz, “um elevado nível de solidez e de suporte ao desenvolvimento da atividade da sua Instituição financeira”.

No comunicado, António Tomás Correia, presidente MGAM, diz que, com esta operação, “a CEMG está dotada dos meios necessários para o desenvolvimento da sua atividade, de forma estável e sólida”.

E acrescenta que “o projeto estratégico de transformação da CEMG na instituição financeira nacional da economia social está aberto às instituições sociais que, livremente, nela pretendam participar”.

Isto é dito no mesmo dia em que foi assinado um memorando que constitui um “princípio de acordo” para a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) entrar no capital da Caixa Económica Montepio Geral.

O memorando de entendimento foi assinado por Tomás Correia e pelo presidente da SCML, Pedro Santana Lopes.

Em comunicado, a instituição refere que se trata de um entendimento com o objetivo de “estabelecer uma parceria entre estas entidades no âmbito do desenvolvimento da economia social”.

Nesta informação divulgada à imprensa é referido que o memorando “contempla a possibilidade de uma participação da SCLM na Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) abrindo o caminho para a participação de outras instituições da economia social no capital da CEMG”.





Mais notícias