Do Parlamento para a faculdade. Passos Coelho vai dar aulas no ISCSP

O Conselho Científico do ISCSP já terá autorizado a entrada do antecessor de Rui Rio na liderança do PSD no quadro docente da faculdade, localizada no Pólo Universitário do Alto da Ajuda, em Lisboa.

Rafael Marchante/Reuters

Pedro Passos Coelho vai dar aulas no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), da Universidade de Lisboa, noticiou a “Visão” esta sexta-feira. O antigo primeiro-ministro e ex-presidente do PSD deverá integrar a equipa docente na área de Administração Pública.

O Jornal Económico já tinha noticiado a 28 de janeiro, em primeira mão, que Passos Coelho se preparava para “abraçar” a vida de professor universitário. Informação agora reforçada com a descoberta da instituição que receberá Passos.

De acordo com a newsmagazine, Pedro Passos Coelho aceitou o convite da direção do ISCSP, presidida por Manuel Meirinho, ex-deputado do PSD na Assembleia da República, depois de ter renunciado ao mandato de deputado no Parlamento, no final de fevereiro.

O Conselho Científico do ISCSP já terá autorizado a entrada do antecessor de Rui Rio no quadro docente da faculdade, localizada no pólo universitário do Alto da Ajuda, em Lisboa.

Pedro Passos Coelho deverá ficar associado a disciplinas relacionadas, essencialmente, com economia e lecionadas em mestrados e doutoramentos, referiu a “Visão”.

Entre o corpo docente do ISCSP contam-se também antigos governantes como Luís Amado (antigo-ministro dos Negócios Estrangeiros), Rui Pereira (antigo ministro da Administração Interna) e António de Sousa Lara (antigo secretário de Estado da Cultura).

O antigo presidente do Tribunal de Contas Guilherme d’Oliveira Martins, António Rebelo de Sousa, irmão do atual Presidente da República, e António José Seguro, antigo secretário-geral do PS, também dão aulas naquela faculdade.

Antes de ter sido primeiro-ministro (2011-2015), o social-democrata já tinha sido professor no Instituto Superior de Ciências Educativas.

Pela terceira vez, ISCSP e Passos cruzam-se

Esta não é a primeira vez que o ISCSP surge na vida de Passos Coelho. Em março de 2013, o então primeiro-ministro, de um Portugal sob programa de assistência financeira da Troika (FMI; BCE; Comissão Europeia), foi recebido no ISCSP por uma parte da comunidade estudantil que protestava contra a governação do executivo PSD/CDS.

Segundo a Agência Lusa, aquela altura,  Passos Coelho que foi à faculdade da Ajuda para participar na sessão de abertura da conferência “Sociedade Aberta e Global – das funções do Estado e políticas públicas à administração pública”, organizada pelo ISCSP e INA – Instituto Nacional de Administração, foi recebido por estudantes que gritavam “Demissão, Demissão” e que empunhavam cartazes com as inscrições “Vieram ao local certo aprendam a governar” e “A Nossa solução é a vossa demissão”.

Perante o aparato, a direção do ISCSP teve que tomar medidas de segurança e o evento decorreu à porta fechada. Os estudantes ficaram do lado de fora e a maior parte dos lugares do auditório Adriano Moreira ficaram vazios.

Já em setembro de 2012, uma visita de Passos Coelho ao ISCSP deu que falar quando foi assistir a uma homenagem a Adriano Moreira, professor catedrático jubilado e fundador e antigo líder do CDS.

De acordo com a Lusa, à época, ao chegar à instituição de ensino superior, o antigo líder do PSD foi recebido em protesto pelos alunos. Um dos estudantes insultou diretamente Pedro Passo Coelho, sendo de imediato abordado por um elemento da segurança do então primeiro-ministro. O aluno foi ainda identificado no local pela PSP e o caso ganhou dimensão mediática, após o segurança de Passos Coelho ter importunado e impedido um operador de câmara de filmar o sucedido.

O caso ficou resolvido em outubro desse ano, quando o ISCSP anunciou ter advertido “sem consequências disciplinares” o estudante em causa, que “reconheceu ter usado expressões inapropriadas”.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB