Dívida mundial continua a aumentar e alcança os 201 biliões de euros

Vários países e empresas mundiais recorreram a empréstimos para se libertarem da crise mundial, desde que ocorreu a queda do Lehman Brothers. E os efeitos já se fazem notar.

A dívida mundial está a acumular, tendo atingido pouco mais de 201 biliões de euros, maioritariamente impulsionada pelos mercados emergentes. É considerado, até ao momento, o valor mais alto da história, conforme indica o MarketWatch.

Face à última década, a dívida cresceu perto de 65.5 biliões de euros, segundo consta no estudo do Instituto Internacional de Finanças, ‘Eye-watering rise in debt levels’.

O estudo realça ainda que os mercados emergentes representam “uma crescente fonte de preocupação” para a estabilidade financeira e para a economia global, devido ao aumento, num ritmo acelerado, dos encargos da dívida nesses países.

Embora existam muitos outros culpados, em destaque estão os EUA. Com as taxas de juro a subirem no país americano, a dependência excessiva de financiamento para impulsionar o crescimento económico pode tornar-se prejudicial nos países dependentes de fluxos de dinheiro do exterior.

No entanto, as economias em desenvolvimento beneficiaram de investidores internacionais dispostos a investir em ativos de mercados, tendo aumentado os níveis de endividamento para valores extraordinariamente mais altos, relata o MarketWatch. E esta tendência vai continuar enquanto as economias desenvolvidas continuarem a oferecer juros perto 0%.

 

PUB
PUB
PUB