Dinheiro está a desaparecer na Suécia. Nórdicos estudam impactos dos pagamentos digitais

No ano passado, o valor de cash em circulação caiu para o nível mais baixo desde 1990 e registou um tombo de 40% face ao pico de 2007. Por isso, o Banco Central da Suécia está a analisar potenciais medidas para aliviar os efeitos negativos.

O dinheiro (notas e moedas) diminui a olhos vistos na Suécia. A tendência não é nova, estando em curso desde a viragem do século com a evolução dos sistemas de pagamento digitais e com cartões de crédito no país. No entanto, é cada vez mais comum que restaurantes, lojas e museus não aceitem dinheiro e as autoridades suecas estão preocupadas porque muitas pessoas não têm acesso a serviços digitais, especialmente os mais velhos.

O dinheiro físico está desaparecer, sendo preterido face a sistemas de pagamento digitais ou cartões de crédito. Por isso, o Banco Central da Suécia, o Riksbank, está a trabalhar num relatório sobre as consequências da tendência e necessidade tomar medidas para aliviar os efeitos negativos, segundo noticia a Bloomberg.

“Se o dinheiro for reduzido com muita rapidez, será difícil manter a infraestrutura financeira”, explicou Mats Dillen, líder da revisão parlamentar, à agência. No ano passado, o valor de cash em circulação caiu para o nível mais baixo desde 1990 e registou um tombo de 40% face ao pico de 2007. Neste cenário, Dillen acrescentou temer que o país entre numa espiral de consequências negativas e que os sistemas de pagamentos em dinheiro acabem por desaparecer.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB