Dinamarca cobiça trabalhadores estrangeiros do Reino Unido

A incerteza do Brexit quanto ao futuro dos trabalhadores da UE naquele país motivou a Dinamarca a agir. A Confederação da Indústria Dinamarquesa diz que estes trabalhadores devem procurar emprego na Dinamarca, o que ajudaria a colmatar a crise laboral que o país atravessa.

Se o Reino Unido (RU) não garante que o Brexit não afetará as vidas dos trabalhadores da União Europeia (UE), esses trabalhadores devem começar a procurar emprego na Dinamarca. É esta a mensagem da Confederação da Indústria Dinamarquesa, que representa cerca de 10 mil empresas e que afirma ser agora a altura ideal para tentar atrair esta força laboral para o país escandinavo e lidar com a grave crise laboral que o país atravessa.

Em entrevista à Bloomberg, Steen Nielsen, responsável pela política de emprego da Confederação, afirma que os trabalhadores europeus atualmente no RU “davam jeito à Dinamarca”, e lembra a incerteza quanto ao processo do Brexit: “Não é nada claro o que vai acontecer (…) os britânicos ainda não sabem que regras irão aplicar”. Nielsen é da opinião de que a Dinamarca tem de ser proativa nos seus esforços par atrair trabalhadores atingidos pelo Brexit, porque outros países do Velho Continente – também a braços com crises laborais – estão a abrir as portas a estes trabalhadores.

A Dinamarca precisa urgentemente de eletricistas a técnicos industriais e trabalhadores de siderurgias, por isso, além de apontar baterias aos cidadãos da UE que trabalham no RU e que se sentem ameaçados pelo Brexit, Nielsen afirma querer que as autoridades facilitem o processo de integração de trabalhadores de fora da Europa, outra forma de lidar com esta crise laboral.

Carl-Johan Dalgaard, membro do Conselho Económico, afirmou à Bloomberg que “é óbvio que qualquer êxodo de trabalhadores do RU para a Europa – algo que é bastante provável – irá oferecer potenciais oportunidades às empresas dinamarquesas”.





Mais notícias