Demissão afastada, apesar de coro de críticas

Presidente do Sporting não se demite, após segundo maior acionista retirar apoio a direção. E apelos de Ricciardi, sócio do clube, e Eduardo barroso, apoiante de Bruno de Carvalho.

António Cotrim/Lusa

Bruno de Carvalho está debaixo de fogo de todos os quadrantes. Uma grande parte dos órgãos sociais já se demitiu e o próprio Presidente da República poderá não assistir à final da Taça, no domingo. Mas o presidente dos ‘leões’ recusa demitir-se e, à hora de fecho da edição, aguardava-se uma nota do conselho diretivo do Sporting.

A Holdimo, do empresário angolano Álvaro Sobrinho, pediu a demissão de Bruno de Carvalho porque “está a pôr em risco os ativos” e “não merece a confiança do segundo maior acionista” da Sporting SAD com cerca de 30% do capital, a seguir à Sporting SGPS com 37,26%.

Artigo publicado na edição semanal do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

 






Mais notícias
PUB
PUB
PUB