Da China à Austrália, dos EUA à Rússia. Culto a Fátima atravessa fronteiras de todos os continentes

Segundo dados disponibilizados pelo Santuário de Fátima, da China à Austrália, dos EUA à Rússia, passando pelo Uganda e a Argentina, o culto a Fátima atravessa as fronteiras de todos os continentes. Na Nova Zelândia, existem pelo menos mais quatro santuários ou paróquias dedicadas a Fátima.

No caso dos EUA, existem 31 registos de santuários consagrados a Fátima. Já na Argentina são 12 santuários, na Rússia existe um na cidade de São Petersburgo e no Uganda os registos revelam um santuário erguido na capital Kampala na década de 1970. Na China existem pelo menos 23 locais que remetem para a imagem de Fátima. Vários estão situados na antiga colónia portuguesa Macau, mas os restantes podem ser encontrados em outras coordenadas geográficas do gigante asiático, como um santuário na cidade de Fuzhou (sudeste) ou uma capela em Tsingtao (na costa leste). Na Austrália estão identificadas três igrejas e duas paróquias consagradas a Fátima. No continente africano, particularmente em Angola, existem cinco santuários e 18 igrejas.

Em Moçambique são seis santuários e nove capelas e igrejas e em Cabo Verde existe o registo de quatro igrejas ou capelas. Na Guiné-Bissau são conhecidas três paróquias consagradas a Fátima, uma das maiores referências do culto mariano, e São Tomé e Príncipe acolhe um santuário, várias igrejas, um monumento e uma congregação de missionários. Ainda na língua portuguesa, destaque para o Brasil, onde atingem quase as duas centenas de locais de culto, e em Timor-Leste foram identificados seis destes locais.

Mais notícias