Custos do trabalho aumentaram 2,5% em 2017, superando valor de 2016 e a inflação

Esta evolução quase duplica o ritmo de crescimento de 1,4% registado em 2016, segundo os dados divulgados pelo INE, e também quase duplica a inflação média registada, que foi de 1,4%.

Cristina Bernardo

Os custos de trabalho aumentaram 2,5% no ano passado, face ao ano anterior, quase duplicando o ritmo de crescimento de 1,4% registado em 2016, segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE)

Esta evolução também quase duplica a inflação média registada, tendo a variação média anual do índice de preços no consumidor sido de 1,4%, o valor mais elevado desde 2012.

O INE refere que o crescimento dos custos do trabalho foi suportado por um aumento de 2,4% nos custos salariais e de 2,7% nos “outros custos do trabalho”. Estes “outros custos” incluem a contribuição para a segurança social, seguro, prestações complementares e, ainda, indemnizações por despedimento, entre outros.

No quarto trimestre de 2017, o Índice de Custo do Trabalho (ICT) ajustado de dias úteis registou um acréscimo homólogo de 4,7%, quando no trimestre anterior tinha sido observado um decréscimo homólogo de 0,9%.

Na divisão que o INE faz por atividade económica, em 2017, o ICT registou um acréscimo anual de 1,7% no conjunto das atividades industriais, construção, comércio, transportes, entre outras, enquanto averbou um acréscimo de 3,6% no conjunto de atividades que inclui a administração pública, saúde, serviços financeiros, imobiliário, artes e espetáculos, entre outras.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB