Crioestaminal investe 2,8 milhões e regista 4 patentes

O laboratório de criopreservação anunciou o reforço do investimento na área da Investigação & Desenvolvimento, onde nos últimos 12 anos desenvolveu nove projetos.

A Crioestaminal investiu 2,8 milhões de euros em nove projetos de I&D, dos quais três evoluíram para registo de quatro patentes em três mercados – Europa, EUA e China.

O investimento contou com o apoio da União Europeia, que financiou 68% do valor através de fundos comunitários ao abrigo do COMPETE 2020 – Programa Operacional Competitividade e Internacionalização.

A Crioestaminal está a atravessar um momento-chave da sua história, com vários projetos em curso que têm implicado um reforço do investimento, afirma Pedro Sá, project manager officer da Crioestaminal.

Além da investigação e desenvolvimento, áreas como a internacionalização da marca, a qualificação dos recursos humanos, a melhoria dos processos e a proteção da propriedade industrial dos resultados dos seus projetos de I&D têm sido alvo de forte investimento, refere a empresa em comunicado.

A Crioestaminal, fundada em 2003, foi o primeiro banco de criopreservação em Portugal, sendo o maior da Península Ibérica e o quarto a nível europeu. Sediado no Parque Biotecnológico de Cantanhede, emprega cerca de 80 colaboradores e tem presença em quatro países da Europa: Portugal, Espanha, Itália e Suíça.

“A Crioestaminal nasceu como um banco de armazenamento de células estaminais”, mas tem vindo a diversificar a atividade, destaca Carla Cardoso, diretora do departamento de I&D da empresa, acrescentando que atualmente, além do armazenamento, o foco vai para o desenvolvimento de produtos de terapia celular avançada.

Mais notícias