Crescimento da zona euro atinge máximo de quase seis anos

França ultrapassou o ritmo de crescimento económico da Alemanha, sendo que ambos os países atingiram níveis de maio de 2011.

O crescimento da atividade económica na zona euro acelerou em março, mantendo a tendência dos meses anteriores e atingiu máximos de quase seis anos. O índice PMI, que mede a atividade industrial e de serviços nos países da moeda única, subiu para 56,7 pontos este mês, o que compara com os 56 pontos no mês passado.

“O índice registou o melhor crescimento do emprego em quase uma década, tanto nas empresas de manufacturação e do setor de serviços”, refere o relatório divulgado esta sexta-feira. “O otimismo nos negócios atingiu um novo pico, mas a pressão dos preços também se intensificou para um máximo de quase seis anos”.

O PMI de março ficou acima das expetativas dos analistas consultados pela agência Reuters, que estimavam uma desaceleração da atividade económico para os 55,8 pontos. Em relação ao primeiro trimestre do ano, o índice ficou nos 55,7 pontos, o que representa o valor trimestral mais alto desde 2011.

Na zona euro, destacam-se o crescimento económico da Alemanha e de França, as duas maiores economias do conjunto dos países da moeda única. “O crescimento acelerou na Alemanha para o nível mais alto desde maio de 2011, levando à criação de emprego mais alta dos últimos seis anos”, explica o relatório. No caso de França, o crescimento económico ultrapassou o da a Alemanha, uma retoma justificada pela aceleração do setor dos serviços.

Mais notícias