‘Country manager’ e diretor de operações são os empregos mais procurados na Engenharia

A consultora especializada em recrutamento Robert Walters revelou esta terça-feira as tendências laborais da área para 2018. A energia, o automóvel e os serviços são os setores com maior dinamização.

Os empregos com maior procura na área da Engenharia em Portugal são posições de country manager, diretores de operações, bem como profissionais das áreas de gestão de manutenção, qualidade, processos e produção, segundo uma análise da consultora especializada em recrutamento Robert Walters. Os postos de trabalho mais requisitados centram-se em funções que juntem técnica, alta especialização e habilidades comerciais (perfil comercial). O diretor da Robert Walters em Portugal, Cristiano Aron, destaca o crescimento económico no país como fator para o otimismo da indústria e regresso às contratações. Para este ano, o responsável da empresa antevê algumas tendências:

  • Dinamismo da energia, automóvel e serviços

Os setores da energia, do automóvel e dos serviços são os setores com maior dinamização laboral, onde há mais ofertas de emprego nas áreas de engenharia e operações. Isto porque muitas destas indústrias, nomeadamente na mobilidade e transporte, têm fortes operações em Espanha e assim que começam a expandir atividades no país necessitam de novos recursos.

  • Lisboa, Porto e Centro têm ofertas de emprego

Apesar de a região Centro de Portugal continuar com dificuldades em atrair talento devido à localização, muitas indústrias de transformação, sobretudo no ramo dos plásticos e alguns suppliers no mercado automóvel, a zona continua a ter bastante procura no ramo da Engenharia. As maiores ofertas mantêm-se nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.

  • Aumentos salariais

A empresa refere que a existência de mais vagas do que candidatos tem obrigado as empresas a aumentar os salários para atrair os melhores profissionais e conseguir mantê-los nos cargo. Segundo um estudo recente da consultora, o aumento na procura de especialistas de Tecnologias da Informação (TI) por parte das empresas vai fazer com que os profissionais nesta área tenham subidas médias nos salários na ordem dos 7% a 9% este ano. Devido à oferta de candidatos para funções enquanto developers, engenheiros de software, especialistas em cibersegurança e de infraestruturas de TI se manter inferior à procura de mercado, a Robert Walters prevê que estas profissões sejam mais ‘cobiçadas’ pelo tecido empresarial.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB