Costa voltar a atacar a PT por “fragilidade inadmissível” na rede de comunicações

O primeiro-ministro voltou a atacar a PT, mas desta vez sem mencionar o nome da empresa para não ser “criticado”. Os comentários surgiram no âmbito das falhas do SIRESP este domingo no combate ao incêndio em Alijó.

Os incêndios continuam a deflagrar em Portugal e o SIRESP voltou a falhar este domingo, em Alijó.

Em declarações à imprensa sobre o sucedido, Costa voltou a atacar a PT, sem mencionar o nome da empresa, para que segundo o mesmo, não fosse criticado.

“Num país onde há uma elevada florestação, um elevado número de incêndios e um sistema de comunicação que não vou dizer o nome para não me criticarem”, é essencial “permitir circular não só a comunicação normal, como também a comunicação de emergência, o que expõe obviamente esta rede a uma fragilidade inadmissível”, disse o primeiro-ministro, em declarações à imprensa.

Em resposta ao pedido de Assunção Cristas, para a saída de Constança Urbano de Sousa, o primeiro-ministro aproveitou para dizer que a oposição tem-se dedicado àquilo que não é relevante, que é pedir a demissão das pessoas e esquece-se do que é mais importante, que é a resolução de problemas.





Mais notícias