Correios alemães entram no mercado dos elétricos

Grupo Deutsche Post DHL vai entrar no mercado dos veículos elétricos com a StreetScooter, uma carrinha desenvolvida internamente e que custará 32 mil euros.

O mercado dos veículos elétricos terá um novo player. A fazer concorrência aos gigantes da indústria automóvel estarão… os Correios alemães. A rede postal alemã, a Deutsche Post – parte do grupo que engloba ainda a DHL –, anunciou a sua intenção de começar a comercializar externamente a carrinha elétrica StreetScooter, desenvolvida internamente para lidar de forma sustentável com o aumento da necessidade de entregas gerada pelo aumento das vendas online.

À Reuters, que avança com esta notícia, Juergen Gerdes, membro da administração da Deutsche Post, afirmou que a empresa está atualmente à procura de um novo local de produção, com o intuito de aumentar o volume anual para 20 mil unidades, prevendo vender cerca de metade destas carrinhas a clientes externos.

Recorde-se que a Deutsche Post está a fazer o phaseout das carrinhas VW Caddy que utiliza atualmente, em favor das StreetScooter, que desenhou e produz desde que os construtores convencionais recusaram os seus pedidos para um veículo elétrico específico para as suas necessidades. Atualmente, são já mais de 2500 as StreetScooter aos serviço dos Correios alemães, devendo o tamanho da frota duplicar até ao final do ano, afirmou também Juergen Gerdes à Reuters.

O administrador revelou ainda que a carrinha será comercializada por preços que se iniciam nos 32 mil euros e que a Deutsche Post espera grande procura por parte de autoridades municipais e de operadores de grandes frotas. As StreetScooter serão vendidas pela empresa, sem intermediários, e os clientes disporão de 400 oficinas na Alemanha para as operações de reparação e manutenção.

“A grande procura pela StreetScooter e os nossos objetivos ambiciosos de proteção ambiental encorajaram-nos a expandir o nosso compromisso na área da eletromobilidade, tornando os nossos conhecimentos acessíveis a outros”, conclui Juergen Gerdes em comunicado. Em entrevista ao Rheinische Post, Gerdes afirmou que não será difícil imaginar, a longo prazo, a StreetScooter a atingir volumes de 100 mil unidades/ano e a ser produzida em dez fábricas.



Mais notícias