Coreia do Sul critica decisão de Pyongyang de cancelar reunião e exige regresso às negociações

A Coreia do Sul afirmou hoje ser lamentável a decisão da Coreia do Norte de cancelar uma reunião bilateral, devido às manobras militares conjuntas com os Estados Unidos, e exigiu um rápido regresso às negociações.

A Coreia do Sul afirmou hoje ser lamentável a decisão da Coreia do Norte de cancelar uma reunião bilateral, devido às manobras militares conjuntas com os Estados Unidos, e exigiu um rápido regresso às negociações.

A decisão de anular o encontro foi divulgada por Pyongyang horas antes de os dois viznhos se reunirem na localidade fronteiriça de Panmunjom para debater o início de negociações sobre a redução da tensão militar e o recomeço das reuniões de famílias separadas desde a Guerra da Coreia (1950-53).

O regime norte-coreano considera a realização de manobras militares conjuntas entre os Estados Unidos e a Coreia do Sul, em território sul-coreano, um treino para uma invasão.

Esta reviravolta diplomática pode comprometer o clima de apaziguamento internacional e a histórica cimeira entre o Presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, marcada para 12 de junho próximo, em Singapura.

Entretanto, Washington indicou não ter sido notificado sobre qualquer posição norte-coreana e, por isso, continua a preparar a cimeira entre Trump e Kim, indicou o Departamento de Estado norte-americano.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB