‘Contact Center’ das empresas de telecomunicações são as que menos pagam

Para além do baixo salário, 30% dos operadores das comunicadores rodam todos os anos, segundo estudo da Associação Portuguesa dos 'Contact Centers'

Brian Snyder/Reuters

Em todo o setor dos contact centers, há uma rotatividade de trabalhadores de 13%, um número que as empresas de telecomunicações ultrapassam em 18 pontos percentuais, escreve o Jornal de Notícias na edição impressa de hoje.

Um estudo da Associação Portuguesa dos Contact Centers (APCC) mostra que a rotatividade dos contact centers das empresas de telecomunicações é então superior à média e, para além desse fator, são as que pior pagam. O salário bruto destes trabalhadores é de 492 euros por mês, um número muito inferior ao salário mensal dos trabalhadores de contact centers de assistência em viagem: 1092 euros.

O jornal escreve também que mais de metade dos trabalhos está em situação precária. Há 49% de trabalhadores com contratos a prazo, 7% em trabalho temporário e 5% com outro tipo de vínculo.

Mais notícias