Como a eleição de Trump e a morte do JFK deram estabilidade a Wall Street

Tem de se recuar até 1963 para encontrar um período com menor volatilidade no índice S&P 500. Os doze meses mais tranquilos, que os últimos doze, aconteceram depois do assassinato de John F. Kennedy.

Donald Trump comemorou um ano como presidente dos Estados Unidos na semana passada e continua a ter razões para festejar. Apesar de a imprevisibilidade do magnata ser um fator de incerteza global, para as bolsas norte-americanas tem sido de uma razão para tranquilidade.

Há mais de 50 anos que a volatilidade do índice financeiro S&P 500 não era tão baixa, tendo registado uma variação diária média de apenas 0,31%, desde novembro de 2016, de acordo com uma análise do Financial Times, que sublinha que durante este tempo passaram-se acontecimentos como testes nucleares pela Coreia do Norte.

Por outro lado, Wall Street tem vivido momentos áureos, a bater máximos consecutivos. Entre novembro de 2015 e o mesmo mês do ano passado, a variação média diária no índice financeiro tinha sido de 0,72%.

Tem de se recuar até 1963 para encontrar um período com menor volatilidade no índice que nasceu em 1927. Os doze meses mais tranquilos no S&P 500, que os últimos doze, aconteceram depois do assassinato de John F. Kennedy. Na altura, a variação média diária foi de 0,25%.

Além da variação, o índice VIX, do Chicago Board Options Exchange (CBOE), que foi lançado em 1990 para medir a volatilidade acionista, registou o nível mínimo intraday em julho e desde então que permanece próximo desse valor.



Mais notícias