Comissão Europeia quer investir 1.000 milhões em supercomputadores

Edição digital apoiada por

No final da semana passada, a Comissão Europeia apresentou os seus planos para investir, em conjunto com os Estados-Membros, "na construção de uma infraestrutura europeia de supercomputadores de craveira mundial".

A Comissão Europeia propõe-se investir 1.000 milhões de euros em supercomputadores europeus de “craveira mundial”.

No final da semana passada, a Comissão Europeia apresentou os seus planos para investir, em conjunto com os Estados-Membros, “na construção de uma infraestrutura europeia de supercomputadores de craveira mundial”.

“O tratamento de quantidades cada vez maiores de dados requer supercomputadores, que são valiosos para a sociedade em muitos domínios, desde os cuidados de saúde e as energias renováveis à segurança dos veículos e à cibersegurança”, destaca um comunicado do RAPID – Representação da Comissão Europeia em Portugal.

Os planos apresentados por Bruxelas “são cruciais para a competitividade e a independência da UE na economia dos dados”.

“Cada vez mais, a indústria e os cientistas europeus tratam os seus dados fora da UE, porque a capacidade de computação disponível na União não é suficiente para satisfazer as suas necessidades de cálculo. Esta falta de independência compromete a privacidade, a proteção dos dados, os segredos comerciais e a propriedade dos dados, em particular os das aplicações sensíveis”, sublinha o referido comunicado.

 



Mais notícias
PUB
PUB
PUB