Ciberataque atingiu 150 países e é uma ameaça crescente, diz Europol

Diretor da polícia europeia diz à BBC que há uma preocupação com o nível de possíveis ataques que poderão ocorrer na manhã de segunda-feira.

O ciberataque de sexta-feira afetou mais de 200 mil vítimas em 150 países, disse o chefe da Europol, Rob Wainwright, citado pela BBC.

Segundo a BBC, o responsável disse que o mundo enfrenta uma ameaça crescente, e que há a preocupação com o nível de possíveis ataques que poderão ocorrer na manhã de segunda-feira.

“Estamos perante uma ameaça crescente, os números estão a subir”, disse Wainright, acrescentando que o ataque de sexta-feira foi sem precedentes.

“Estamos a realizar operações contra cerca de 200 ciberataques por ano, mas nunca tínhamos visto nada parecido”, disse o chefe da Europol, adiantando temer que o número de vítimas continue a aumentar “quando as pessoas voltarem ao trabalho na segunda-feira e ligarem os computadores”.

O vírus assumiu o controle dos arquivos dos usuários, exigindo pagamentos; a Rússia e o Reino Unido estavam entre os países mais atingidos.

Especialistas em segurança já avisaram que outro ataque é iminente e pode ser imparável.

O jovem de 22 anos que travou o ciberataque de sexta-feira também já tinha avisado que ataques similares podem ser desencadeados em breve. O perito inglês de cibersegurança responsável pelo site MalwareTech, que prefere manter o anonimato, disse à BBC que “talvez não neste fim de semana, mas muito possivelmente na segunda-feira de manhã” vai acontecer um ataque similar.