China promete tolerância zero contra a poluição

Governo chinês garante que está a tomar medidas para ter uma "China com céus azuis e prados verdes".

Qilai Shen/Bloomberg

A China vai levar a cabo uma política de “rigorosa supervisão da aplicação das leis de proteção ambiental”, com vista a combater o flagelo da poluição, disse hoje um representante do governo de Pequim, numa conferência em Macau.

“O comité central do Partido Comunista e o conselho de Estado tem colocado grande ênfase na protecção do ambiente” disse o representante do ministério da Proteção Ambiental da China, numa mensagem lida na cerimónia de abertura do Macau International Environmental Cooperation Forum & Exhibition (MIECF) 2017, que decorre até sábado na antiga colónia portuguesa.

O responsável acrescentou que estão a ser aplicadas diariamente milhares de coimas por infrações ambientais, na China. Isto porque o executivo de Pequim entende que “proteger o ambiente é proteger a produtividade” e que é necessário promover a energia verde para “ter uma China com céus azuis e prados verdes”. Esta escolha de palavras não foi ao acaso, dado que a China enfrenta graves problemas de poluição ambiental, após três décadas de forte crescimento económico assente num ‘boom’ industrial que transformou o país na “fábrica do mundo”.

O governo chinês considera, além disso, que a indústria da energia verde e da proteção ambiental poderá ser uma fonte de riqueza, com um valor acrescentado na ordem dos 3% do Produto Interno Bruto (PIB) da China.

“O nosso mercado de proteção ambiental é enorme e cheio de potencial (…). Vai valer 2,8 triliões de renmimbis [cerca de 377 mil milhões de euros] em 2020”, salientou, acrescentando que as empresas presentes no MIECF – incluindo várias firmas portuguesas – estão convidadas a aproveitar as oportunidades no mercado chinês.

Já um representante do ministério da Indústria chinês, Yang Tiengsheng, afirmou na sua intervenção na abertura do Fórum que em 2017 a República Popular da China quer “estabelecer e impulsionar a indústria e a produção verde”, introduzindo alta tecnologia para reduzir a produção de resíduos e apostar na indústria verde para melhorar a qualidade ambiental.

O jornalista viajou a convite da Associação de Jovens Empresários Portugal China (AJEPC) e da organização do MIECF 2017

 



Mais notícias