China promete retaliar em caso de guerra comercial com os EUA

Após a renúncia de Gary Cohn, principal conselheiro económico da Casa Branca, é expectável que Trump aprove esta semana as taxas alfandegárias de 25% às importações de aço e de 10% para as compras de alumínio.

Wang Yi, ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, assegurou que uma guerra comercial entre os EUA e outras potências “será tão prejudicial para quem a inicie, como para o país a quem se dirija a tarifa” e advertiu que a China vai responder às subidas das tarifas alfandegárias.

Após a renúncia de Gary Cohn, principal conselheiro económico da Casa Branca, é expectável que Trump aprove esta semana as taxas alfandegárias de 25% às importações de aço e de 10% para as compras de alumínio.

A medida visa combater as designadas importações baratas, especialmente da China, que Trump acusa de prejudicarem a indústria e os empregos nos EUA.

A administração Trump tem vindo a enfrentar uma maior oposição às taxas alfandegárias de destacados republicanos e funcionários do Congresso preocupados pelo possível impacto na economia.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB