China funde regulador bancário e de seguros para evitar riscos excessivos

Com a chancela do Parlamento, o Governo anunciou a combinação da Comissão de Regulamentação Bancária da China com a Comissão de Regulamentação de Seguros da China, como parte de um plano abrangente de reorganização para aumentar o controle de riscos, avança o FT.

Stringer/Reuters

A China irá fundir seus reguladores bancários e de seguros em uma mudança para preencher as lacunas regulamentares que criaram riscos de formação de bancos paralelos (shadow banks), avança o Financial Times.

O Congresso Nacional do Povo, com a chancela do Parlamento, anunciou a combinação da Comissão de Regulamentação Bancária da China com a Comissão de Regulamentação de Seguros da China na passada terça-feira, como parte de um plano abrangente de reorganização levado a cabo pelo Governo e que passará por, pelo menos, uma dúzia de agências fundidas ou eliminadas.

A CIRC – China Banking Regulatory Commission está sem presidente permanente desde abril, quando a agência anti-corrupção do Partido Comunista colocou o presidente Xiang sob investigação.

A Comissão é amplamente responsabilizada por não conseguir controlar riscos de crédito e por apoiar  as aquisições estrangeiras da Anbang Insurance Group.

Após a aquisição pelo Governo, a Anbang disse que se comprometia com as subsidiárias no exterior. “Continuaremos comprometidos com os negócios e investimentos das subsidiárias no exterior e forneceremos o apoio necessário para seu desenvolvimento saudável “, disse na altura o porta-voz da Anbang, citado pela Reuters.

O CIRC anunciou no mês passado que assumiu o controle de Anbang, após a aparente detenção do presidente da Anbang, Wu Xiaohui, em junho, devido a processos relacionados com crimes económicos.

É vontade de Pequim restringir os grandes e caros conglomerados mistos.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB