CEO da Bright Pixel: “Gosto de desafiar as empresas a pensar nos usos reais da blockchain”

Celso Martinho foi um dos oradores da conferência sobre blockchain promovida pela Associação de Antigos Alunos de MBA da Universidade Nova de Lisboa, onde afirmou que muitas empresas consideram complicado responder se estão dispostas a utilizar esta “confiança descentralizada”.

Cristian Bernardo

Há vinte anos a trabalhar na Internet, fundador do SAPO, e há dois anos envolvido no tema da blockchain, Celso Martinho acredita que esta tecnologia “tem imenso potencial” e “capacidade de mudar o mundo”.

À margem da conferência “Blockchain & Cryptocurrencies: The New Era of The Digital Economy” , promovida  pela Associação de Antigos Alunos de MBA da Universidade Nova de Lisboa (AMBA), o CEO do company buiding studio Bright Pixel admitiu que ainda há arestas por limar nesta área, quando questionado sobre quais os limites desta base de dados.

“Podemos ver que tem imenso potencial e capacidade de mudar o mundo. (…) Uma das coisas com as quais me tenho divertido quando falo com novas empresas é ao desencorajá-las a usar blockchain. Não porque seja antiquado, mas para as desafiar no processo de pensar nos seus reais”, disse Celso Martinho.

O responsável pela Bright Pixel adiantou, no mesmo evento da AMBA, que a empresa “tem procurado trabalhar com blockchain” e que está atenta à transformação digital, nomeadamente à suplychain.

“Costumo perguntar: confiam realmente nos vossos parceiros/sócios? Se sim, não use o blockchain. Estão dispostos a usar esta confiança descentralizada? É uma pergunta complicada para muitas empresas, sobretudo as grandes e muito reguladas”, afirmou Celso Martinho, perante o repleto auditório da Reitoria da Universidade Nova de Lisboa.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB