Centro de Recuperaçção de Aves da Madeira avança até ao final do ano

Por ano, são recolhidas na Região cerca de 120 aves feridas ou desorientadas pelas luzes. A tutela ambiental diz que a conservação da Natureza é uma prioridade do Governo Regional.

Foto DR

O Executivo madeirense vai instalar até ao final deste ano um Centro de Recuperação de Aves da Madeira no Jardim Botânico, no Funchal.

O projeto está em fase de elaboração e direcciona-se para a conservação de aves, em especial de dez espécies protegidas da Madeira. Entre elas, a freira da Madeira, o bugio, o calcamar e a alma-negra.

A Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais iniciou, ontem, um workshop no âmbito do projeto comunitário LUMINAVES, destinado à conservação de aves marinhas.

A formação visa dar competências na área da recuperação de fauna selvagem – aves marinhas e de rapina -, com o objetivo de melhorar o tratamento das espécies e aumentar a eficácia da sua recuperação.

Na formação orientada por dois dos maiores especialistas nacionais na recuperação de fauna selvagem, Ricardo Brandão e a enfermeira veterinária Daniela Costa, participam 63 pessoas diretamente ligadas à recolha, tratamento e recuperação de aves feridas.

Por ano, na Madeira são recolhidas cerca de 120 aves feridas ou desorientadas pelas luzes. A tutela ambiental diz que a conservação da Natureza é uma prioridade do Governo Regional.

“É imperioso dotar tecnicamente a Região de quadros capazes de responder eficazmente nas situações em que a vida das aves marinhas se encontre ameaçada”, afirma Susana Prada, diretora regional do Ambiente.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB