Centeno sobre Novo Banco: “Solução é equilibrada e protege contribuintes”

Ministro das Finanças considerou que a solução encontrada para alienar o Novo Banco, não sendo perfeita, é "equilibrada", tendo presente a necessidade de proteger os contribuintes portugueses.

“Esta é uma solução equilibrada e que tem presente a necessária proteção dos contribuintes, da economia, da estabilidade da instituição e do sistema financeiro. Não quer dizer que tenha sido a solução perfeita na perspetiva do Estado. Mas foi a melhor entre as alternativas que se apresentaram neste processo”, afirmou o governante.

Perante as críticas do Bloco de Esquerda (BE), PCP e Os Verdes – partidos que suportam o Governo de António Costa -, mas também da oposição (PSD e CDS-PP), à solução encontrada (venda de 75% do Novo Banco ao fundo norte-americano Lone Star), Centeno sublinhou que “as alternativas seriam bem piores”.

Mário Centeno falava no debate de atualidade sobre o banco de transição resultante da intervenção das autoridades no antigo Banco Espírito Santo (BES), solicitado pelo Bloco de Esquerda e que decorreu logo no arranque do plenário desta tarde no parlamento.

PUB
PUB
PUB