CEO da Closer: “Data Scientists são as novas estrelas do mercado”

Fernando Matos diz ao Jornal Económico que o aumento da procura e a escassez da oferta destes profissionais vão fazer crescer os salários, devido à complexidade do trabalho.

A Closer é uma tecnológica portuguesa de Data Science especializada em Business Intelligence, Advanced Analytics e Artificial Intelligence, áreas que enfrentam carência de competências e recursos.

As escolas portuguesas formam jovens em número suficente para responder às  necessidades do mercado?

Para as necessidades não. As necessidades e não falo só a nível nacional, mas também a nível europeu e mundial, são muito maiores do que os recursos que existem neste momento. Antes da Associação de Data Science, que recentemente ajudámos a criar, eu, individualmente, e alguns de nós participámos em várias iniciativas no sentido de tentar trazer pessoas para a tecnologia, como o Girls on IT.

O que pode ser feito a nível do país para aumentar a capaci­da­de e responder às necessidades?

Há duas vertentes muito importantes que poderão ser trabalhadas. Uma é sensibilizar os jovens para a importância das saídas profissionais que esta área tem. O crescimento da procura vai obrigar a uma melhoria das condições da oferta. A outra é trazer pessoas de fora para estudar cá, para se fixarem em Portugal. Temos um país extraordinário e normalmente quem vem gosta de ficar. Formar, reter e importar são três vetores fundamentais no equilíbrio entre a oferta e a procura.

 

Artigo publicado na edição semanal do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor




Mais notícias
PUB
PUB
PUB