CCISS ‘convida’ empresas portuguesas a reforçar capacidade produtiva de Cabo Verde

O presidente da CCISS, Jorge Spencer Lima, pediu esta quarta-feira, 11, o apoio do secretário de Estado adjunto do Comércio de Portugal, Paulo Ferreira, no sentido de trazer empresas portuguesas para reforçar a capacidade produtiva do país. E a partir daqui exportarem para o mercado da CEDEAO.

Jorge Spencer Lima, que se fazia acompanhar de outros membros da direcção da Câmara de Comercio Indústria e Serviços de Sotavento (CCISS), lançou esse repto durante um encontro com o governante português que se encontra de visita a Cabo Verde, solicitando ainda uma linha de crédito de Portugal para Cabo Verde que apoie as exportações portuguesas e consequentemente as importações de Cabo Verde a partir de Portugal.

O presidente da CCISS lembrou que Portugal é um parceiro comercial tradicional de Cabo Verde, sendo que em termos de importações está em primeiro lugar, preenchendo cerca de 43 por cento das compras cabo-verdianas.

“Significa que essa relação é muito próxima e muito forte e nesse sentido lançamos um repto no sentido de estudar a possibilidade de abrir uma linha de crédito de Portugal para Cabo Verde para apoiar as exportações portuguesa e consequentemente apoiar as importações de Cabo Verde a partir de Portugal”, disse.

Contudo, salientou que as relações comerciais entre os dois países apresentam um défice “muito grande” onde a cobertura das exportações para as importações cabo-verdiana representa apenas 6%.

Por isso mesmo, lançou um segundo repto ao governante português que passa pela possibilidade de deslocar empresas portuguesas para Cabo Verde para produzir não só para o mercado local como também para aproveitar essa possibilidade de exportar para o mercado da CEDEAO.

“É o mercado de 350 milhões de consumidores onde nós ainda não aproveitamos quase nada. Daí que o problema que se põe também é reforçar a nossa capacidade produtiva. É nessa base que nós contamos com a participação dos empresários e das empresas portuguesas para se deslocarem e criarem indústrias aqui em Cabo Verde”, explicou.

Por seu lado, o secretário de Estado português, Paulo Ferreira, adiantou que as propostas vão ser estudadas e apresentadas às empresas portuguesas devendo estas avaliar a situação e ver até que ponto é possível com as condições já existentes operar no solo cabo-verdiano.

“Nós enquanto Governo vamos assumir o papel de facilitador fazendo chegar as informações às empresas portuguesas através da Agência do Comércio e Investimento Externo para que os investidores externos possam também apreciar as oportunidades que existem em Cabo Verde e trazer mais agentes económicos ao arquipélago”, disse.

Para além do encontro com a CCISS, que representa o sector privado, o secretário de Estado Adjunto e do Comercio de Portugal, manteve também um encontro com o ministro do Turismo e Transportes e ministro da Economia Marítima, José da Silva Gonçalves.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB