Cavaco Silva: “Sempre prestei contas dos cargos públicos que exerci”

Este livro é uma prestação de contas aos portugueses, para que estes "tenham um juízo objectivo e esclarecido sob a forma como exerci a defesa do supremo interesse nacional", disse o ex-presidente da República.

No discurso de lançamento do seu livro “Quinta-feira e outros dias”, que faz o balanço de 10 anos do exercício do cargo de Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva começa a salientar que “sempre prestei contas dos cargos públicos que exerci”, para explicar que este livro é uma prestação de contas aos portugueses, para que estes “tenham um juízo objectivo e esclarecido sob a forma como exerci a defesa do supremo interesse nacional”.

O ex-Presidente da República refere que no livro dá “o testemunho de partes importantes na minha magistratura para que os portugueses possam fazer o seu juízo informado e esclarecido sob a forma como exerci os meus dois mandatos enquanto Presidente da República”.

Cavaco Silva no Centro Cultural de Belém disse que este livro é essencial para compreender “o tempo complexo e conturbado nos 10 anos em que exerci as funções [de Chefe de Estado]”. Recordou iniciativas orientadas para a inclusão social para combater o abandono e o insucesso escolar, para o desenvolvimento regional”, entre outros. Nesse livro são relatadas conversas tidas com os primeiros-ministros que coabitaram com o seu tempo de Presidente da República, com destaque para José Sócrates.

Com quase 600 páginas, o livro foca-se essencialmente a coabitação entre 2006 e 2011 com o então primeiro-ministro socialista José Sócrates, com quem tradicionalmente se reunia às quintas-feiras. Apanha por isso a chegada da troika para resgatar o país.

No livro diz que “sempre recusou a política-espetáculo, tão cara a muitos políticos, por proporcionar notícias e fotografias, mas que não traz qualquer benefício ao país”. O que pode ser entendido como uma crítica subtil ao seu sucessor, Marcelo Rebelo de Sousa.

Os agradecimentos do ex-presidente da República são muitos. Começa por agradecer a Manuel Braga da Cruz, antigo reitor da Universidade Católica, que lhe apresenta o livro, agradece aos ex-colaboradores e sobretudo à família e à mulher a quem diz dever toda a sua carreira.

Ao lançamento do livro no CCB (numa sala com lotação esgotada) acorreram várias figuras importantes da sociedade portuguesa, como o ex-Presidente da República António Ramalho Eanes e a mulher, o ex-primeiro-ministro e líder da oposição Pedro Passos Coelho, a líder do CDS, Assunção Cristas, assim como os seus vice-presidentes Maria Luís Albuquerque (PSD e Adolfo Mesquita Nunes (CDS), o ex-ministro António Pires de Lima, presidente da Fundação Champalimaud Leonor Beleza, outros políticos como Teresa Morais, Teresa Leal Coelho, Fernando Negrão, e Nunes Liberato, ex-chefe da Casa Civil. Manuela Ferreira Leite e Bagão Félix também estavam presentes.

Cavaco Silva deixou a Presidência da República a 9 de março de 2016, ao fim de dez anos.

PUB
PUB
PUB