Cápsula do tempo: Manuel Boullosa, o “homem do petróleo”

O empresário Manuel Boullosa morreu durante o sono, na Quinta dos Pesos onde vivia, em Caparide, São João do Estoril.

Manuel Boullosa, um dos maiores empresários portugueses de sempre, era o quarto filho de um casal galego imigrado em Portugal. Com um ano de idade morreu-lhe a mãe, e foi para a Galiza. Regressou mais tarde a Lisboa para trabalhar com o pai na venda de carvão.

Em 1933 esteve na fundação da SONAP – Sociedade Nacional de Petróleo, em parceria com um grupo francês. Pouco tempo depois, entrou no complexo petrolífero de Sines. Alargou os seus interesses ao estrangeiro, onde fundou e presidiu a várias empresas na África do Sul, Moçambique ou Malawi, por exemplo.

Dedicou-se a outras atividades empresariais, sobretudo no setor financeiro, onde foi administrador do Banco Fonsecas & Burnay, presidente da Banque Franco-Portugaise (França), do Lissabon Bank (Alemanha) e do Banco Pinto de Magalhães (Brasil).

Em Portugal, manteve todos os esforços para que se salvaguardasse a posição portuguesa na GALP – onde era um dos grandes investidores – face à pressão italiana do grupo ENI.

Morreu aos 94 anos no dia 6 de abril de 2000.



Mais notícias
PUB
PUB
PUB