Caixa BI revê em baixa recomendação das ações dos CTT

"A política de dividendos é agora menos generosa (associada à geração de resultado líquido), estamos agora na presença de uma companhia com o seu principal negócio em declínio e com duas alavancas que se ainda não são suficientes para estancar as perdas do Correio: Expresso & Encomendas e Banco CTT", justifica o banco de investimento.

Miguel A. Lopes/Lusa

O banco de investimento da Caixa emitiu uma nota onde faz uma nova avaliação e recomendação às ações dos CTT.

“Revimos as nossas estimativas na sequência da apresentação de resultados do 4º trimestre de 2017”, anuncia a nota diária do analista Artur Amaro.

O analista do banco diz que “a história de investimento dos CTT foi sempre objetiva até à apresentação do Plano de Transformação Operacional em dezembro de 2017: investir numa empresa de distribuição postal (70% do EBITDA consolidado), com o seu negócio core em queda estrutural (Correio) que é compensado pelo negócio de Serviços Financeiros e potencial de crescimento via Banco CTT”.

Acima de tudo, diz o Caixa BI, “o racional de investimento dos CTT era investir num veículo para obter dividendos acima do setor onde opera”.

Mas, considerando que “a política de dividendos é agora menos generosa (associada à geração de resultado líquido), estamos agora na presença de uma companhia com o seu principal negócio em declínio e com duas alavancas que se ainda não são suficientes para estancar as perdas do Correio: Expresso & Encomendas e Banco CTT”, justifica o banco de investimento.
“O nosso novo fair-value é de 3,10 por ação, com uma recomendação de Neutral”, o que compara com um price-target anterior de 4,70 euros por ação e uma recomendação de Buy (comprar).

 




Mais notícias
PUB
PUB
PUB