Brexit pode rebentar antes de começar: ‘Fatura’ de 57 mil milhões gera tensão

Bruxelas está a perder a paciência e não tolera tom de ameaça de Theresa May; 'Hard' Brexit ganha cada vez mais força.

A visão que a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, tem sobre a saída do seu país da União Europeia, demonstrou ser totalmente oposta ao que alguns dos governos europeus com mais peso no ‘Velho Continente’ têm sobre o Brexit, escreve hoje o espanhol El Economista. De tal forma é assim que as negociações estão a ser muito mais tensas do que se previa no início, pelo que no seio da União Europeia, muitos acreditam que existe um sério risco de que o Brexit rebente antes de começar. A pergunta que se coloca neste momento entre os 27 países da União Europeia é só uma: os britânicos podem ‘levantar-se da mesa sem pagar a fatura?’, questiona-se hoje no online económico espanhol.

De acordo com a Bloomberg, as exigências iniciais de May – e a advertência sobre o que pensa fazer se as coisas não forem feitas à sua maneira – elevaram a probabilidade que o Reino Unido saia do bloco comunitário em 2019 sem chegar a nenhum acordo, ou pior, na versão do tão temido ‘Hard’ Brexit.

Por outro lado, o The Economist assegura que, apesar da Câmara dos Comuns ter autorizado Theresa May a invocar o artigo 50 do Tratado de Lisboa, a fatura do Brexit será “muito mais difícil de gerir”; algo que poderá ‘deitar por terra’ todo o processo.

Fatura multimilionária

A fatura da saída do Reino Unido da União Europeia está compreendida entre os 24.500 e os 72.800 mil milhões de euros, aproximadamente, segundo um relatório do ‘think-tank’ do Centro para a Reforma Europeia divulgado por um correspondente do Financial Times. A participação da Grã-Bretanha de que os eurocratas consideram créditos pendentes de liquidação rondaria os 29.200 mil milhões de euros, segundo estimativa deste relatório.

A Sky News publica esta sexta-feira que o negociador da União Europeia para o Brexit, Michel Barnier, tinha fixado durante as conversações desta semana em Bruxelas, a fatura final do divórcio em 57 mil milhões de euros. Segundo esta publicação, o valor exato foi acordado numa reunião que teve lugar na segunda-feira; encontro no qual a França e a Alemanha exigiram que o Reino Unido pagasse mais de 70 mil milhões de euros.

PUB
PUB
PUB