Brexit: Banco de Inglaterra pede “planos de contingência” à City

Governador do Banco de Inglaterra pediu às empresas que operam na City financeira de Londres para terem planos de contingência para o cenário extremo de não existência de acordo pós-Brexit entre União Europeia a Reino Unido.

O governador do Banco de Inglaterra, Mark Carney, desafiou hoje as empresas da City – centro financeiro de Londres – a terem preparados “planos de contingência” para o ‘Brexit’ ou saída do Reino Unido da União Europeia (UE), avança a Lusa.

Numa intervenção hoje em Londres, o governador revelou que escreveu a todos os bancos e empresas financeiras que operam entre o país e a UE – incluindo subsidiárias de bancos de investimento norte-americanos com sede na capital britânica – para lhes pedir para se prepararem para todos os cenários possíveis nas negociações do ‘Brexit’.

Entre os possíveis cenários, o Mark Carney incluiu o cenário de ambas as partes UK e UE) não consigam alcançar um acordo pós Brexit, e pediu às referidas instituições financeiras para terem prontos os planos até 14 de julho.

O governador do Banco de Inglaterra diz que existem “riscos verdadeiros” para a estabilidade financeira no período de transição.

Nos “riscos verdadeiros”, Carney incluiu uma possível alteração dos serviços, debilidade dos benefícios da banca de investimento e uma possível maior complexidade nas estruturas legais das empresas.



Mais notícias