Bolsas europeias negoceiam mistas à espera dos resultados da banca norte-americana

Os investidores europeus estão atentos à divulgação de resultados do setor da banca nos Estados Unidos relativos ao terceiro trimestre do ano. Esta quinta-feira, é a vez do JPMorgan e Citigroup apresentam contas, com os analistas acreditam que a fraca volatilidade dos mercados pode ter penalizado a atividade bancária.

Reuters

O principal índice nacional segue a negociar com ganhos ligeiros na sessão desta quinta-feira, alavancado pelos ganhos da Pharol e da EDP. O PSI 20 soma 0,02% para os 5.440,32 pontos, num dia em que as praças europeias negoceiam sem tendência definida.

A Pharol é a cotada a registar maiores ganhos, ao subir 8,61% para os 0,454 euros.

A valorizar está também o setor da energia. A EDP ganha 0,65% para os 3,113 euros, a Galp sobe 0,33% para os 15,155 euros e a REN soma 0,58% para os 2,767 euros.

Em terreno positivo estão também a Semapa (2,38%), a Corticeira Amorim (0,33%), a Navigator (1,05%), a NOS (0,24%) e a Ibersol (0,89%).

Em sentido contrário, está o setor do retalho. A Sonae cai 0,29% para os 1,022 euros, enquanto a concorrente Jerónimo Martins desce 3,13% para os 15,805 euros. A cair estão também o BCP (-0,28%), a EDP Renováveis (-0,24%), a Novabase (-0,44%) e os CTT (-0,08%).

Na Europa, as congéneres europeias negoceiam mistas. O DAX, principal índice alemão ganha 0,03% e a praça britânica FTSE 100 avança 0,07% e o espanhol IBEX 35 recupera 0,12%. Em contraciclo, o CAC 40 francês recua 0,14%.

Os investidores europeus estão atentos à divulgação de resultados do setor da banca nos Estados Unidos relativos ao terceiro trimestre do ano. Esta quinta-feira, é a vez do JPMorgan e Citigroup apresentam contas, com os analistas acreditam que a fraca volatilidade dos mercados pode ter penalizado a atividade bancária. Amanhã será a vez do Bank of America e do Wells Fargo apresentarem resultados.

Esta quinta-feira é também dia de revelação de dados económicos relevantes na União Europeia e nos Estados Unidos. Na Zona Euro serão conhecidos os dados da produção industrial relativos ao mês de setembro e nos Estados Unidos serão conhecidos os novos pedidos de subsídio de desemprego e índice de preços na produção.

Por cá, o Instituto Nacional de Estatística (INE) revela os dados da inflação relativo ao mês de setembro e o ministro das Finanças, Mário Centeno, vai à Assembleia da República entregar o Orçamento de Estado para o próximo ano. Entre as medidas que constam na proposta preliminar, estão medidas que irão afetar sobretudo o setor do retalho, que está hoje a negociar em baixa. São elas, a subida das bebidas açucaradas e o agravamento do imposto sobre as cervejas.

No caso das bebidas com elevada concentração de açúcar acreditam-se que o Governo possa vir a aumentar a taxa até 1,5%e definir uma nova taxa consoante o grau de açúcar. Já no caso das cervejas, as bebidas espirituosas e os vinhos licorosos, a proposta preliminar do  Executivo socialista prevê um aumento na ordem dos 1,5%.

Os mercados estão ainda de olhos postos em Washington, onde o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, participa no Peterson Institute for International Economics, onde se acredita que possa vir a dar pistas sobre a política monetária a adotar pelo regulador nos próximos meses. O evento conta ainda com o anterior presidente da Fed, Ben Bernanke, e o governador da Fed, Lael Brainard, num evento onde irão olhar para a política monetária dos dois bancos centrais mais importantes em termos mundiais.

No mercado petrolífero, o brent perde 0,30% para os 56,77 dólares por barril e o crude valoriza 0,80% para os 50,89 dólares.

No mercado cambial, o euro valoriza 0,03% para 1,185 dólares e a libra avança 0,09% para 1,323 dólares.



Mais notícias