Bolsa portuguesa segue em alta com quase todas as cotadas em terreno positivo

"O PSI 20 continua a dar seguimento à tendência altista e registou ontem os maiores ganhos da sessão europeia", indica João Tenente, gestor da corretora XTB.

A bolsa portuguesa negoceia no ‘verde’ no meio de sessão desta quarta-feira, partilhando o sentimento positivo das praças europeias. O principal índice português, PSI 20, ganha 1,02% para 5.525,62 pontos, impulsionado pelas valorizações do BCP e da Pharol.

“O PSI 20 continua a dar seguimento à tendência altista e registou ontem os maiores ganhos da sessão europeia”, indica João Tenente, gestor da corretora XTB. “Todas as cotadas à exceção de Ibersol e EDP Renováveis estão em terreno positivo com destaque para o setor bancário com um dos maiores ganhos do dia”.

O BCP avança 3,39% para os 0,289 euros, depois de o banco liderado por Nuno Amado ter renovado esta terça-feira máximos de agosto de 2016 e ter encerrado o ano a recuperar quase 50%.

A Pharol é a cotada que mais ganha no índice nacional, ao subir 3,465% para os 0,269 euros. A empresa terá pedido aos restantes acionistas da empresa de telecomunicações brasileira Oi, da qual a Pharol é o maior acionista, para que seja convocada uma nova reunião com os credores.

Em terreno positivo estão ainda o setor do retalho, com a Jerónimo Martins a valorizar 0,49% para os 16,270 euros e a Sonae a ganhar 1,12% para os 1,171 euros. No setor da energia, a EDP sobe 1,21% para os 2,937 euros, a Galp Energia avança 0,61% para os 15,645 euros e a REN soma 0,49% para os 2,480 euros.

Entre os títulos em alta neste meio de sessão estão também os CTT (1,71%), a Corticeira Amorim (1,29%), a Semapa (0,56%) e a Navigator (1,15%).

“Os investidores seguem otimistas, acreditando que este ano continuará com novos máximos e até indicação em contrário, as entradas longas serão recomendadas”, explica João Tenente.

Em contraciclo estão a EDP Renováveis, que perde 1,81% para os 6,795 euros, e a Ibersol, que perde 0,41% para os 12,100 euros.

João Tenente chama ainda à atenção para a Impresa, que registou esta quarta-feira um disparo de mais de 3%, depois de ter sido confirmada a venda das revistas do grupo à sociedade Trust in News, do empresário Luís Delgado. “Esta venda foi muito acima das expetativas, o que deixou os investidores confiantes”, sustenta.

Nas restantes praças europeias, o alemão DAX ganha 0,53%, impulsionado pelos dados do desemprego revelados esta manhã, que indicam que o número de alemães sem emprego atingiu mínimos históricos. Em alta estão também o espanhol IBEX 35, que soma 0,48%, o francês CAC 40, que avança 0,44%, o holandês AEX, que ganha 0,63%, e a britânica FTSE 100, que sobe 0,04%. Em sentido contrário, o italiano FTSE MIB desvaloriza 0,33%.

“As principais praças europeias abriram novamente com uma forte tendência altista, dando seguimento ao bom momento iniciado este ano”, explica o gestor da corretora XTB. “Desde 2013 que as praças asiáticas já não abriam com esta tendência acentuada e os máximos históricos nos índices norte-americanos ajudaram a que a o movimento altista continuasse a predominar”.

No mercado petrolífero, o brent sobe 0,57% para os 66,95 dólares por barril e o crude WTI valoriza 0,84% para os 60,88 dólares.

No mercado cambial, o euro recua 0,26% para 1,202 dólares e a libra perde 0,21% para 1,355 dólares.



Mais notícias