Bispo emérito de Beja compara festas no Panteão a “bacanais romanos nos cemitérios”

D. António Vitalino Dantas considera que a organização de jantares no edifício não é a melhor forma de homenagearmos às grandes figuras da História portuguesa.

O bispo emérito de Beja comparou as festas no Panteão Nacional a “bacanais romanos nos cemitérios”. Ao Correio da Manhã, D. António Vitalino Dantas explicou que a organização de jantares no edifício não é a melhor forma de homenagearmos às grandes figuras da História portuguesa.

“Os romanos realizavam bacanais nos cemitérios, mas o nosso povo não tem esses hábitos. (…) É lá que estão sepultados alguns dos mais ilustres da nossa História e encontram-se lá porque conquistaram em vida honras de destaque para além da morte”, afirmou ao CM.

O bispo emérito de Beja refere ao matutino, em declarações à entrada da Assembleia Plenária da Conferência Episcopal, que não lhe “parece que a melhor forma de homenagearmos essas grandes figuras seja através da realização de jantares”.

Segundo o diário generalista, o aluguer dos 23 museus, monumentos e palácios dependentes da Direção-Geral do Património Cultural, nos dois últimos anos, rendeu 877 mil euros. A maior parte dos bispos contactados no local preferiu não comentar a polémica.

O caso ganhou amplitude após a divulgação de informações nas redes sociais que deram conta da realização de um jantar exclusivo com convidados da Web Summit na nave central do Panteão Nacional, em que participaram presidentes executivos, fundadores de empresas e ‘startups’, investidores de alto nível, entre outras personalidades.

O jantar em questão chama-se ‘Founders Summit’ e decorreu na sexta-feira em Lisboa, no dia seguinte ao encerramento da cimeira tecnológica. O assunto teve rapidamente repercussões no meio político e desencadeou, durante o fim de semana, diversas reações, incluindo do próprio fundador da Web Summit, o irlandês Paddy Cosgrave, que pediu desculpas “por qualquer ofensa causada”, garantindo num breve depoimento escrito que o evento, “conduzido com respeito”, respeitou as regras do local.





Mais notícias