BCP tem puxado pela bolsa, mas terá forma para manter o PSI 20 no verde?

A instituição financeira liderada por Nuno Amado beneficiou da revisão em alta da avaliação que o banco norte-americano JP Morgan fez.

Rafael Marchante/Reuters

O BCP tem sido o suporte da evolução positiva do PSI 20 esta semana e, depois de o banco norte-americano JP Morgan ter revisto em alta a avaliação que faz dos títulos da instituição financeira portuguesa, a questão é saber se o mercado pode continuar com o BCP como motor. Para os analistas contactos pelo Jornal Económico, é possível que a banca continue a pesar na tendência.

Gualter Pacheco, trader do Banco Carregosa, considera que, apesar da dificuldade de antevisão, “é possível” que a tendência continue, até porque o BCP é atualmente a cotada “que tem mais peso no PSI 20”.

João Queiroz, trader da GoBulling, diz que o PSI20 tem retirado do “sentimento positivo” nos mercados europeus, em boa parte alavancados pelo setor da banca. Agora, para que o principal índice da bolsa de Lisboa mantenha ganhos significativos é necessário “capitalizações de outros sectores”, ou seja, que grandes cotadas como EDP, Galp ou Jerónimo Martins.

Queiroz diz que “é o setor bancário que segura o PSI 20”, mas considera que só o BCP a puxar pelo mercado será insuficiente para manter a tendência.

Na segunda-feira, o JP MOrgan subiu a classificação do banco de 0,30 euros para 0,35 e, consequentemente, o BCP subiu quase 5% na Bolsa de Lisboa, dando ganhos ao principal índice da bolsa nacional.

Esta terça-feira, ainda sob o mesmo efeito, BCP alavancou o PSI 20, permitindo que o índice continuasee no verde e atingisse o nível mais alto desde 2015.

João Tenente, gestor da XTB, considerou que o “PSI20 segue em linha com as valorizações generalizadas nos índices europeus, esperando-se que continue com esta tendência altista no longo prazo”, sendo o setor bancário o que “mais valoriza”.






Mais notícias
PUB
PUB
PUB