BCP e Pharol em queda numa sessão verde em toda a Europa

A Bolsa de Lisboa fechou em alta de 0,12% para 5.237,15 pontos. Mas as acções do BCP e da Pharol impediram uma subida mais expressiva. As ações do banco que tem vindo a ser alvo de revisões em alta de preços-alvo das várias casas de investimento, fecharam a cair 2,35% para os 22 cêntimos.

A Bolsa de Lisboa fechou em alta de 0,12% para 5.237,15 pontos. O índice PSI 20 ainda assim teve uma subida menos expressiva que outras praças europeias.

Por cá o PSI 20 teve a travar a subida as quedas expressivas do BCP, que corrigiu depois de várias sessões em alta. As ações do banco que tem vindo a ser alvo de revisões em alta de price-targets das várias casas de investimento, fecharam a cair 2,35% para os 22 cêntimos.

O JB Capital Markets subiu o preço-alvo do BCP para 30 cêntimos; o Caixa BI subiu para 26 cêntimos; e o JP Morgan subiu o preço-alvo das acções do BCP de 18 cêntimos para 23 cêntimos.

Ontem o norueguês Norges Bank anunciou que passou a deter 2,64% do BCP a 9 de Maio, tendo reforçado depois da apresentação dos resultados trimestrais.

O banco liderado por Nuno Amado valoriza 41,93% desde o inicio do ano.

A outra ação em queda em Lisboa foi a Pharol, que perdeu 2,89% para 26,9 cêntimos. Sonae, Mota-Engil e EDP Renováveis também fecharam em queda.

Em alta destacou-se a Sonae Capital que valorizou 4,70% para 0,957 euros; os CTT ganharam 1,72% para 5,781 euros; a Corticeira Amorim subiu 1,15% para 11,4 euros. Foram 11 os títulos do PSI 20 a fecharem em alta na última sessão da semana.

O índice da Bolsa Espanha valorizou 0,33%; França ganhou 0,41%; o Dax alemão subiu 0,41% na sessão para 12.770,41 pontos (ajudado pelos dados do PIB sólidos da Alemanha); Milão ganhou 0,43% . Nos índices globais o Stoxx 600 ganhou 0,31% e o EuroStoxx 50 valorizou 0,39% para os 3.637,52 pontos. Notícias de fusões e aquisições na Europa ajudaram os índices. Por exemplo em Paris, as ações da Vivendi subiram 4,68%. O conglomerado de media fez uma oferta para comprar aa participação de 60% do Grupo Bolloré na holding Havas  a um preço de 9,25 euros por acção.

Londres valorizou 0,66% um dia depois do Banco de Inglaterra ter mantido os juros e revisto em baixa o crescimento económico para este ano.

A produção industrial da zona do euro caiu pelo segundo mês consecutivo em março.

Noutros mercados, o petróleo Brent, fechou a cair na bolsa de LOndres 0,10% para os 50,72 dólares o barril.

 

 

 

 

 

Mais notícias