BCP: Após fim dos cortes de salários, sindicato quer debater aumentos

Desde meados de 2014 que os trabalhadores do BCP com remunerações acima de mil euros brutos mensais têm os salários cortados, no âmbito da reestruturação do banco acordada com Bruxelas.

A Federação sindical do Setor Financeiro (Febase) mostrou-se satisfeita com o fim dos cortes salariais no BCP, mas vai solicitar uma reunião à administração com o objetivo de debater aumentos salariais.

“O memorando celebrado entre o BCP e os sindicatos da Febase chega agora ao fim, antecipando em seis meses o prazo acordado”, diz a Federação num comunicado enviado à Lusa, após o conhecimento que o BCP irá pagar os salários deste mês, numa carta aos trabalhadores.

Segundo informação aos trabalhadores transmitida pela instituição, os cortes salariais que duraram três anos permitiram salvar 400 postos de trabalho.

“Face às medidas exigidas pela DGcom [direcção da Comissão Europeia] e o Estado português para a recapitalização do banco, a Febase negociou o memorando tendo por objectivo salvar postos de trabalho e conseguir melhores condições para os trabalhadores que rescindissem o contrato de trabalho. Evitou assim um despedimento colectivo e possibilitou a manutenção de mais de 400 postos de trabalho face à redução de efectivos pretendida”, frisa a Febase, em comunicado.

A federação pretende agora negociar com o BCP para pedir aumentos salariais. Desde meados de 2014 que os trabalhadores do BCP com remunerações acima de mil euros brutos mensais têm os salários cortados, no âmbito da reestruturação do banco acordada com Bruxelas.



Mais notícias