BCE mantém taxas inalteradas, mas remove referência a eventuais aumentos na compra de ativos

A decisão sobre as taxas era prevista pelos analistas, mas a remoção da opção de acelerar as compras caso o outlook se torne desfavorável foi uma surpresa. A atenção passa agora para a conferência de imprensa de Draghi às 13h30.

Reuters

O Conselho de Governadores do Banco Central Europeu (BCE) manteve as taxas de juro na zona euro inalteradas e em mínimos históricos. Após a reunião do Conselho de Governadores, esta quinta-feira, em Frankfurt, a instituição liderada por Mario Draghi anunciou que deixou a taxa de juro diretora continua em 0%, um nível em vigor desde março de 2016.

“O Conselho do BCE espera que as taxas de juro diretoras do BCE permaneçam nos níveis atuais durante um período alargado e muito para além do horizonte das compras líquidas de ativos”, referiu.

A taxa de juro aplicável à facilidade de depósito também não sofreu alterações e permanece nos -0,40%, enquanto a taxa aplicável à facilidade permanente de cedência de liquidez fica em 0,25%, informou o banco central, em comunicado.

Em relação ao programa de compra de ativos, o banco central referiu que vai continuar a um ritmo mensal de 30 mil milhões de euros mensais até setembro de 2018, “ou mais tarde, se necessário, e em qualquer caso até que o Conselho de Governadores ver um ajustamento sustentável do caminho da inflação, consistente com a meta de inflação [próxima, mas abaixo de 2%]”.

No entanto, face ao comunicado de janeiro, deixou cair a referência sobre a possibilidade de, no caso do outlook se tornar menos favorável ou de as condições financeira se tornarem inconsistentes com mais progresso em direção a ajustamento sustentável no percurso da inflação, o Conselho de Governadores estar pronto a aumentar o aumento no programa de compras em termos de tamanho ou duração.

A atenção centra-se agora na conferência de imprensa de Draghi às 13h30, sendo que o principal foco vai ser perceber se setembro é mesmo a meta final do programa de compra de ativos da zona euro ou se haverá um novo prolongamento.

[Atualizada às 13h34]






Mais notícias
PUB
PUB
PUB