Banco Mundial nomeia representante residente em Cabo Verde

A senegalesa Fatou Fall será a primeira oficial de ligação e representante residente do Banco Mundial (BM) em Cabo Verde, assumindo funções desde domingo, anunciou a instituição em comunicado.

“Fatou Fall, de nacionalidade senegalesa, foi nomeada oficial de ligação do Banco Mundial e representante residente em Cabo Verde”, informou o BM, em comunicado.

Especialista em questões de género e desenvolvimento, Fatou Fall entrou para o Banco Mundial em 2006, trabalhando na secção para a região do Médio Oriente e Norte de África (MENA), onde permaneceu durante 10 anos.

“Fatou Fall acumulou uma sólida experiência operacional em questões de proteção social e de desenvolvimento, incluindo desenvolvimento participativo, inclusão de cidadãos, género, inclusão e sustentabilidade social”, adianta o comunicado.

O Banco Mundial destaca ainda liderança no diálogo sobre políticas, além de várias iniciativas e projetos em Marrocos e Djibuti.

Desde que ingressou na região África, em 2016, coordenou a equipa de protecção social nos países cobertos pelo escritório de Dacar (Senegal, Mauritânia, Cabo Verde, Gâmbia e Guiné-Bissau).

A representante residente nomeada para Cabo Verde tem um mestrado em Género e Desenvolvimento pelo Instituto de Estudos para o Desenvolvimento da Universidade de Sussex, Inglaterra, e uma pós-graduação em Desenvolvimento Social pela Universidade de Paris, Sorbonne, França.

A norte-americana Louise Cord mantém-se como directora para Cabo Verde baseada no Senegal.

O Banco Mundial é um dos principais parceiros de financiamento de Cabo Verde, tendo atualmente vários projetos em curso no país, nomeadamente de apoio às reformas dos sectores das pescas, eletricidade e transportes.




Mais notícias
PUB
PUB
PUB