Azeredo Lopes assume responsabilidade pelo assalto a paióis em Tancos

O ministro da Defesa afirmou hoje em Castelo Branco que assume a "responsabilidade política" após o furto de material de guerra em Tancos pelo "simples facto de estar em funções".

À margem das comemorações do 65.º aniversário da Força Aérea Portuguesa, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, assumiu a responsabilidade política pelo simples facto de estar em funções.

Segundo a Lusa, na sexta-feira o exército revelou que entre o material de guerra roubado na quarta-feira dos Paióis Nacionais de Tancos estão “granadas foguete anticarro”, granadas de gás lacrimogénio e explosivos, mas não divulgou quantidades.

O  Exército indicou ainda que “para além das granadas de mão ofensivas e das munições de 9mm, foram também detetadas as faltas de granadas foguete anticarro, granadas de gás lacrimogéneo, explosivos e material diverso de sapadores, como bobines de arame, disparadores e iniciadores”.

Aos jornalistas Azeredo Lopes afirmou que marcará presença na Assembleia da República para dar as explicações que os deputados entenderem.

O ministro confirmou ainda que o sistema de videovigilância em Tancos não estava operacional e disse que as medidas que podiam ser tomadas, foram tomadas em devido tempo, sem especificar.





Mais notícias
PUB
PUB
PUB