InícioNotícia escrita porRenato Carmo, Sociólogo

O incremento da relação de confiança entre as instituições públicas, os seus líderes e a população em geral significa uma prioridade indispensável para o aprofundamento da ligação entre a política e o povo.

A tragédia de Pedrogão Grande impeliu o país a discutir e a debater pela enésima vez a gravidade dos fogos florestais e a sua relação com o desordenamento territorial, o despovoamento e o envelhecimento das populações rurais.

A noção de administração total desenvolvida por Marcuse, segundo a qual a organização de base tecnológica tende a deter um caráter quase totalitário de amplo controlo social, mantém-se atual.

A política dos atuais governantes soube perceber que para recuperar o país precisaríamos também de retomar a celebração e de festejar sem complexos de culpa.

Países europeus, como Portugal, caminham aceleradamente em direção a um desequilíbrio demográfico gritante para o qual a imigração pode e deve ser uma resposta possível para resolver parte desse problema.

Uma cidade que afasta os jovens do seu centro porque estes são precários e não detêm rendimento suficiente para a habitar, é uma cidade crescentemente desigual.

A composição assimétrica da estrutura salarial das empresas representa um dos motores mais determinantes para a persistência e o aumento da desigualdade social.

É fundamental para a Europa que a social-democracia se reinvente e reconquiste o protagonismo que teve noutros tempos.

PUB
PUB
PUB