InícioNotícia escrita porRenato Carmo, Professor Universitário (ISCTE-IUL)

"O regresso" representa nos dias de hoje um enorme slogan publicitário anunciado até à exaustão pelas marcas de material escolar e desportivo, pelas grandes superfícies e lojas de roupa.

Segundo Varoufakis, a situação em Portugal não é económica e financeiramente sustentável, e a prazo o país voltará a cair na estagnação. E afirma que a Grécia não é Portugal. Onde é já ouvimos isto?

Esse “todos” que invadiu os múltiplos cartazes da campanha eleitoral para as próximas autárquicas também nos responsabiliza em não fazer esquecer, durante os próximos dez meses, o Portugal periférico.

Atualmente, a esfera pública da política e da comunicação social prende-nos ao alucinante presente instantâneo, sufocando-nos com infindáveis banalidades e trivialidades que não servem para nada.

O incremento da relação de confiança entre as instituições públicas, os seus líderes e a população em geral significa uma prioridade indispensável para o aprofundamento da ligação entre a política e o povo.

Atualmente, a esfera pública da política e da comunicação social prende-nos ao alucinante presente instantâneo, sufocando-nos com infindáveis banalidades e trivialidades que não servem para nada.

A tragédia de Pedrogão Grande impeliu o país a discutir e a debater pela enésima vez a gravidade dos fogos florestais e a sua relação com o desordenamento territorial, o despovoamento e o envelhecimento das populações rurais.

A noção de administração total desenvolvida por Marcuse, segundo a qual a organização de base tecnológica tende a deter um caráter quase totalitário de amplo controlo social, mantém-se atual.

PUB
PUB
PUB