InícioNotícia escrita porMarco Silva, Consultoria estratégica e de investimentos

Apesar do sentimento negativo reportado com o desempenho na economia, o certo é que o mesmo estudo revelou que Portugal é dos países mais satisfeitos com o governo.

Os deputados eleitos têm a missão de representar os eleitores na execução do programa eleitoral por eles apresentado e não representar-se apenas a si mesmos. Seria bom refletir sobre o laxismo com que exigimos a sua responsabilização.

Façam-se ouvir nas reuniões locais dos partidos, mostrem a vossa insatisfação. Pensem por vocês e não sigam uma qualquer cartilha só porque é deste ou daquele lado. Não se deixe levar pela letargia da politiquice.

Fomos os que mais aumentámos os impostos e a dívida. O rendimento disponível é hoje menor que há 12 anos e o novo trabalho é de rendimentos muito baixos.

Portugal tem das piores e mais exigentes leis para a criação e manutenção de partidos, numa clara manobra para impedir a entrada de sangue novo e a mudança do ‘statu quo’.

Apesar dos inúmeros casos conhecidos, dos seus protagonistas, das mentiras evidentes, da manipulação, até hoje não há um único participante do grande saque a cumprir pena pelo acto.

A Big Data é hoje a maior arma de destruição massiva nas mãos de indivíduos com más intenções. E o contrapoder exercido pelos media, e/ou pela voz do cidadão, é ineficaz.

É quase certo que até daqui a 10, 15 anos, dependendo das profissões, o seu posto de trabalho venha a ser obsoleto ou você substituído por tecnologia.

PUB
PUB
PUB